Ex-diretor da ANA pagou dívida do carro do irmão de Rose

Relatório mostra que o grupo de Vieira quitou R$ 2,3 mil para regularizar licenciamento do veículo de Edson Nóvoa

O Estado de S.Paulo

03 de dezembro de 2012 | 02h04

O grupo comandado por Paulo Vieira pagou uma dívida de licenciamento de R$ 2,3 mil de um carro do irmão de Rosemary Noronha, ex-chefe de gabinete da Presidência em São Paulo. Relatórios da Operação Porto Seguro mostram que o diretor afastado da Agência Nacional de Águas (ANA) fez um pagamento em dinheiro para regularizar o Chevrolet Corsa 96/97 de Edson Lara Nóvoa.

O pagamento faz parte de uma série de favores que Vieira teria prestado a Rose em troca de reuniões com autoridades e indicações para cargos no governo. Ontem, o Estado revelou que o carro de Rose pertencia ao grupo.

Rose pediu o favor em 19 janeiro de 2009. Vieira entrou em contato por e-mail com a funcionária de um serviço de despachantes, com os dados do carro de Edson.

Segundo uma mensagem interceptada pela PF, a dívida para o licenciamento referente ao ano de 2008 era de R$ 2.335,36.

"O meu irmão Marcelo irá levar o dinheiro para você amanhã. Vamos fazer o pagamento à vista", escreveu Vieira à funcionária. Marcelo seria o responsável pelos pagamentos feitos pelo grupo.

Em 29 de janeiro, Vieira informou que o documento do carro estava pronto e se ofereceu para enviá-lo à casa de Edson. Rose sugeriu que o documento fosse entregue a ela dentro do gabinete da Presidência em São Paulo, mas o relatório da PF não informa se isso ocorreu.

"Bjokas e obrigada vc é meu irmão... conte comigo sempre que precisar!", escreveu Rose a Paulo, em agradecimento.

Pajero. Como o Estado revelou ontem, os relatórios da Porto Seguro indicam que o Mitsubishi Pajero TR4 de Rose pertenceu à organização de Vieira. E-mails e documentos obtidos pela investigação sugerem que despesas do veículo podem ter sido pagas por ele.

O carro, fabricado em 2010, foi registrado em nome de Patricia Baptistella, funcionária da faculdade que pertence à família do ex-diretor da ANA. Em 2 de maio de 2011, Rose cobrou de Vieira a transferência do veículo para seu nome, e a quitação de despesas como seguro e licenciamento.

"Vc renovou o seguro? Quando pretende passar o carro para o meu nome?", perguntou Rose.

Um ano antes, em abril de 2010, o veículo levou uma multa de rodízio a 20 metros da casa de Rose, na Bela Vista. Patricia, em cujo nome o Pajero estava registrado, mora em Cruzeiro (SP).

Em 26 de abril de 2012, os investigadores checaram o registro do veículo no Infoseg, sistema integrado de informações de segurança pública. O Pajero está em nome de Rosemary Noronha. O relatório não diz quando ocorreu a transferência e não há, nos e-mails interceptados, menção a pagamentos ou venda do Pajero.

Rose não foi encontrada para comentar os dois casos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.