Ex-deputado do PTB condenado no mensalão viaja para o Caribe

Advogado de Romeu Queiroz afirma que cliente estará de volta antes que o Supremo retome a dosimentria

ADRIANA CARRANCA, O Estado de S.Paulo

31 de outubro de 2012 | 02h07

Condenado por corrupção pelo Supremo Tribunal Federal no julgamento do mensalão, o ex-deputado federal Romeu Queiroz (PTB-MG) está de férias em uma praia do Caribe. Queiroz, que vive em Belo Horizonte, embarcou na semana passada, mesmo período em que a Procuradoria-Geral da República pedia a retenção dos passaportes dos réus.

Queiroz viajou com a mulher para celebrar 40 anos de aniversario de casamento, informou a sogra do ex-deputado, Ilda Naves. Segundo ela, Queiroz ficou "muito abalado" após acompanhar pela TV as primeiras sentenças dos juízes do STF - o cálculo das penas do também mineiro Marcos Valério soma mais de 40 anos, assim como do ex-ministro da Casa Civil e homem forte do governo Lula, José Dirceu. Pode ainda haver ajustes. "Ele (Queiroz) ficou muito triste, então resolveu sair um pouco, ficar longe de tudo isso", disse. E saiu em defesa do genro: "Ele nem pegou naquele dinheiro". A viagem foi um presente que os filhos deram, disse. Queiroz foi condenado por corrupção passiva em 26 de setembro. O ex-deputado federal pelo PTB recebeu R$ 350 mil do chamado valerioduto.

O advogado de Queiroz, Ronaldo Garcia Dias, disse que não sabia da viagem do cliente, mas garantiu que ele estará de volta antes da retomada do cálculo da dosimetria pelo Supremo, o que ocorrerá na semana que vem. "Deve ter sido uma dessas viagens de um fim de semana, dez dias, não vai passar disso. Quando o STF voltar, na semana que vem, eu garanto a você que ele estará aqui."

Dias afirmou ainda não ter recebido intimação para entregar o passaporte de Queiroz à Justiça. "Ainda não fomos intimados. Quando formos, vamos entregar o documento", disse o advogado.

Mesmo depois de estourado o escândalo do mensalão, Queiroz tentou se reeleger em 2006, mas não conseguiu. O ex-parlamentar mudou de partido para o PSD e foi eleito suplente de deputado estadual em Minas em 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.