EUA são destino preferido de emigrante brasileiro

Dado calculado pela primeira vez pelo IBGE indica que quase 492 mil pessoas moram fora do País; desse total, 60% têm entre 20 e 34 anos de idade

FELIPE WERNECK , LUCIANA NUNES LEAL / RIO, O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2011 | 03h03

A maioria dos brasileiros que se dirigem ao exterior vai para os Estados Unidos (23,8%), segundo o Censo 2010, que pela primeira vez mediu este movimento. Portugal aparece como segunda opção (13,4%), seguido por Espanha (9,4%), Japão (7,4%), Itália (7%) e Inglaterra (6,2%). O IBGE apurou que o número estimado de brasileiros residentes no exterior é de 491.645 em 193 países.

A maioria dos emigrantes era de mulheres (53,8%) e 60% são brasileiros que, em 2010, tinham entre 20 e 34 anos de idade. O resultado não inclui os domicílios em que todas as pessoas podem ter emigrado nem aqueles em que os familiares residentes no Brasil podem ter morrido.

O próprio IBGE ressalta que o número de brasileiros no exterior "é uma das questões mais controversas quando o tema migrações internacionais é abordado". De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, o total de envolvidos nessas migrações estaria entre 2 milhões e 3,7 milhões de pessoas.

"Esperávamos um número maior. Talvez a pergunta não tenha sido bem entendida", disse o pesquisador do IBGE Fernando Albuquerque. Segundo ele, um dos objetivos é incorporar o dado às projeções de população. Os dados do Censo, no entanto, ajudam a traçar um perfil dos emigrantes. A origem de quase metade (49%) dos 491.645 brasileiros no exterior foi o Sudeste, principalmente São Paulo (21,6%) e Minas (16,8%). Do Sul partiram 17,2%, e o Nordeste contribuiu com 15%.

Ida e volta. Os EUA foram o principal destino da população oriunda de todos os Estados, em especial Minas Gerais (43,2%), Rio de Janeiro (30,6%), Goiás (22,6%) e São Paulo (20,1%). Mas os dados mostram afinidade entre os destinos escolhidos e as colônias existentes nos Estados. O Japão foi o segundo país que mais recebeu os emigrantes de São Paulo (20%). Já Portugal apareceu como segunda opção da emigração originada no Rio (9,1%) e em Minas (20,9%).

Goiás foi o Estado de origem da maior proporção de emigrantes (5,92 pessoas para cada mil habitantes). Em seguida, estão Rondônia (4,98 por mil), Espírito Santo (4,71 por mil) e Paraná (4,39 por mil).

Os municípios com as maiores taxas de emigrantes internacionais (por mil habitantes) ficam no entorno de Governador Valadares e da região do Vale do Aço (MG). Sobrália, São Geraldo da Piedade e Fernandes Tourinho, todas em Minas, foram as cidades brasileiras com maiores proporções de emigrantes (88,85 por mil habitantes; 67,67 por mil; e 64,69 por mil, respectivamente).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.