Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

'Estou feliz com a vitória do Timão', afirma José Dirceu

Declaração de ex-ministro, réu do mensalão, contrasta com informações de que ultimamente andaria deprimido

O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2012 | 03h05

O capítulo crucial do mensalão, que começa a ser julgado hoje, não abalou o domingo do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu. Na iminência de ser condenado como mentor do esquema de compra de apoio político ao governo Lula, o réu não parece tão preocupado com o que lhe reservam os ministros do Supremo Tribunal Federal e, para combater o estresse, divertiu-se com o time do coração, o Corinthians. "Não estou deprimido, pelo contrário. Com a vitória hoje do Timão, estou até feliz", disse ontem ao Estado, por e-mail, referindo-se ao triunfo corintiano sobre o Palmeiras, por 2 a 0.

A declaração de Dirceu contrasta com informações de que ultimamente andaria deprimido e que, por isso, até estaria tomando calmante.

Em conversas reservadas, Dirceu avalia que o ritmo do julgamento no STF não é favorável à sua absolvição. Ele comentou com o ex-presidente Lula, o ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos e o advogado Sigmaringa Seixas, recentemente, que tudo caminha para a sua condenação. Disse que confia na imparcialidade do Supremo, mas, a portas fechadas, afirma que o julgamento é político.

Em reuniões com petistas, Dirceu repete que é preciso cuidar do futuro do PT. O partido enfrenta dificuldades nas eleições das principais capitais. Aos amigos, diz que, se condenado, não resistirá à prisão. Caso esse cenário se confirme, Dirceu quer ser visto como uma espécie de mártir. Na sexta-feira e no sábado, o ex-ministro falou várias vezes com Lula, por telefone. Queria saber se o ex-presidente tinha intenção de responder às declarações atribuídas a Marcos Valério pela revista Veja, apontando Lula como "chefe do mensalão". / FAUSTO MACEDO e VERA ROSA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.