'Estou afastado da empresa desde 2010', diz Rincón

Jayme Rincón afirma que está afastado da Rental desde junho de 2010, quando ingressou na campanha do tucano Marconi Perillo. "Desde janeiro de 2011 não retirei um único centavo da Rental, conforme pode ser comprovado na contabilidade da empresa e nas declarações de Imposto de Renda minha e da Rental. Não tenho nenhum tipo de participação em qualquer ato da empresa", afirmou, em nota. Rincón disse "não ter conhecimento" dos pagamentos feitos à empresa e declarou não ter "solicitado ou autorizado empréstimos em meu nome a quem quer que seja". "Nunca tomei empréstimos de particulares, muito menos do sr. Cachoeira, pessoa com quem não mantenho qualquer tipo de relação."

O Estado de S.Paulo

12 Junho 2012 | 03h09

A Rental corroborou a versão de Rincón, e disse que em janeiro de 2011 ele "formalizou seu afastamento, permanecendo apenas como sócio cotista". Segundo a empresa, os R$ 600 mil referentes aos depósitos "permaneceram no caixa da empresa para custeio de operações". "Não houve nenhum saque ou transferências de valores atípicos na movimentação das contas bancarias".

A empresa afirmou que só teve "ciência da existência do grupo Carlinhos Cachoeira" após a Operação Monte Carlo.

Perillo afirmou não ter conhecimento da operação e sustentou que "não cabe ao governador opinar sobre transações comerciais de nenhuma empresa". Ele disse que Rincón se afastou da administração da empresa. "Quem responde hoje por ela são seus atuais administradores." / F.G.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.