'Estamos no jogo, não perdemos as eleições e temos condições de vencer', diz Goldman

Coordenador da campanha de Aécio aposta na performance do tucano no debate desta noite

Elizabeth Lopes e Pedro Venceslau, enviados especiais, O Estado de S. Paulo

24 de outubro de 2014 | 16h50

Belo Horizonte - O coordenador da campanha do presidencial do PSDB em São Paulo, ex-governador Alberto Goldman, afirmou nesta sexta-feira, 24, ao Broadcast Político que, a despeito das recentes pesquisas de intenção de voto que indicam a vantagem de Dilma Rousseff, Aécio Neves tem condições de conquistar o Palácio do Planalto nas urnas, neste domingo, 26. "Estamos no jogo, não perdemos as eleições e temos condições de vencer", reiterou.

A avaliação do comando de campanha é que as adesões em torno do nome de Aécio cresceram muito nas últimas horas, em várias localidades do País. "Manifestações espontâneas, de vários segmentos da sociedade, como há muito não tínhamos visto", disse o ex-governador. Além disso, ele aposta, assim como outros correligionários, na boa performance do candidato tucano no debate desta sexta à noite na TV Globo.

"O debate da Globo será um momento importantíssimo da campanha", emendou, numa referência ao movimento que ocorreu no primeiro turno deste pleito, quando a candidatura do senador mineiro cresceu após o debate, ultrapassou a da ex-senadora Marina Silva (PSB) e foi para o segundo turno, em vantagem numérica contra a de Dilma.

Goldman não quis entrar em detalhes sobre a estratégia que Aécio adotará no debate desta sexta-feira à noite, mas adiantou que o presidenciável do PSDB está muito bem preparado para o embate, que o ex-governador julga que será muito duro. "A política será de enfrentamento e Aécio está muito bem munido de fatos e elementos objetivos que demonstram a mediocridade da gestão Dilma. Agora, quem vai decidir como isso será usado será o próprio candidato."

Sobre as denúncias da revista Veja, que traz na capa da edição deste final de semana que Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sabiam dos escândalos da Petrobrás, Goldman diz não saber avaliar qual impacto disso nesta reta final da campanha. Mas ironizou as críticas que Dilma fez no programa do horário eleitoral na tarde desta sexta à revista. "Quem faz esse terrorismo de mentiras há muito tempo é o PT."

Fiasco. A mesma percepção de que a campanha de Aécio poderá virar o jogo nesta reta final foi demonstrada pelo senador eleito de Minas Gerais, Antonio Anastasia, coordenador da campanha de Aécio em Minas Gerais, em entrevista a um jornal local. Anastasia aposta na vitória do presidenciável tucano neste domingo e alega que as pesquisas eleitorais foram um "fiasco" no primeiro turno. Segundo o senador eleito, a eleição deverá ser decidida voto a voto.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesAlberto Goldman

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.