‘Estado’ sabatina Marcelo Crivella hoje no Rio

Senador do PRB abre série de entrevistas com candidatos a prefeito; encontros em SP começam dia 1º

Luciana Nunes Leal, de O Estado de S.Paulo,

21 de agosto de 2008 | 01h57

À frente das pesquisas entre o eleitorado carioca, Marcelo Crivella (PRB) abre nesta quinta-feira, 21, a série de sabatinas com candidatos a prefeito do Rio e de São Paulo promovida pelo Grupo Estado. Os concorrentes responderão a perguntas dos jornais O Estado de S.Paulo e Jornal da Tarde, da Agência Estado e da Rádio Eldorado. Os eventos serão transmitidos ao vivo pela internet, na TV Estadão. O público poderá enviar perguntas por e-mail e participar dos eventos, na sede da Associação Brasileira de Imprensa (ABI), no Rio, ou no auditório do Grupo Estado, em São Paulo, sempre das 11 horas às 13 horas.  Na sexta-feira, 22, será a vez do candidato petista à Prefeitura do Rio, Alessandro Molon. Os demais serão sabatinados semana que vem: Eduardo Paes (PMDB), Fernando Gabeira (PV), Solange Amaral (DEM), Chico Alencar (PSOL) e Jandira Feghali (PC do B).  Em São Paulo, do dia 1º ao dia 5, participam Marta Suplicy (PT), Geraldo Alckmin (PSDB), Gilberto Kassab (DEM), Paulo Maluf (PP) e Soninha Francine (PPS). Ivan Valente será sabatinado no dia 8. Biografias Na estréia do programa eleitoral gratuito no rádio e na TV, os candidatos à Prefeitura do Rio apresentaram suas biografias - com as devidas omissões dos pontos de desgaste - e suas famílias. Evitaram ataques aos adversários e os que fizeram promessas se concentraram principalmente na saúde. Crivella foi o único a tocar em um ponto fraco da campanha. No rádio, o ex-bispo da Igreja Universal do Reino de Deus garantiu que não mistura "religião com política" e reconheceu que sua candidatura "gera algumas inquietações naturais". Na TV, Crivella não tocou no assunto. Mulher e filhos foram apresentados na TV por Paes, Gabeira e Molon. No programa da noite, o governador Sérgio Cabral, que à tarde fora apenas citado pelo candidato, pediu votos para Paes e destacou a possibilidade de parceria entre prefeito, governador e o presidente Lula. O cabo eleitoral mais presente no rádio e na TV foi o prefeito Cesar Maia (DEM), que pediu votos para Solange Amaral. Maia opôs sua candidatura, da continuidade, à dos rivais que, segundo ele, "querem acabar com tudo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.