'Estado', Cultura e YouTube fazem debate amanhã

Interatividade, uso de ferramentas digitais e transmissão em diversas plataformas são as principais características do debate que o Grupo Estado, a TV Cultura e o YouTube promoverão amanhã à noite entre os principais candidatos à Prefeitura de São Paulo.

O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2012 | 03h05

No início do programa, que será transmitido pela internet e pela rádio Estadão ESPN, além da TV, os candidatos responderão a oito perguntas gravadas por internautas no YouTube e selecionadas por jornalistas.

Quatro jornalistas do Estado também farão perguntas: os repórteres Julia Duailibi e Bruno Paes Manso, no local do evento, e João Bosco Rabello e Gustavo Chacra, respectivamente diretor da Sucursal de Brasília e correspondente em Nova York, que usarão o Hangout, ferramenta de videoconferência do Google+, para se dirigir aos candidatos desde suas cidades de atuação.

"A junção de uma empresa jornalística, uma emissora de TV pública e um canal de vídeo de largo alcance amplia os efeitos do jornalismo e da prestação de serviços aos cidadãos de todas as faixas etárias", disse o diretor de Conteúdo do Grupo Estado, Ricardo Gandour. "É a união de múltiplas plataformas para atender à audiência onde quer que esteja", afirmou o diretor de Estratégias e Mercados Digitais do Grupo Estado, José Papa Neto.

Para o vice-presidente de Conteúdo da TV Cultura, Fernando Vieira de Mello, a parceria "coloca a tecnologia a serviço do eleitor, que terá participação decisiva no debate".

"O direito de votar e escolher nossos governantes é uma grande conquista", disse o diretor de Conteúdo do YouTube, Álvaro Paes de Barros. "É importante usar bem esse direito. E, para usá-lo bem, é importante termos acesso a informações, ter a habilidade de interagir com aqueles que querem legislar. É isso o que o YouTube e o Google+ oferecem nessa parceria."

O debate, que será mediado pelo jornalista Mario Sergio Conti, terá início às 21h15. Com cinco blocos, o programa deve durar cerca de duas horas e meia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.