Yuri Silva/Divulgação
Yuri Silva/Divulgação

'Esse aqui é o Lula, rapaz', diz Fernando Haddad em Salvador

Vice na chapa petista nas eleições 2018, ex-prefeito faz agenda de campanha na capital baiana mas nega substituição ao ex-presidente 

Yuri Silva, O Estado de S.Paulo

21 Agosto 2018 | 22h56

SALVADOR - Candidato a vice-presidente da República na chapa do PT nas eleições 2018, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad "encarnou o personagem Lula" – condenado e preso na Operação Lava Jato – na visita a Salvador nesta terça-feira, 21. Apesar de dizer que não trabalha com a hipótese de substituição do ex-presidente, durante visita à capital baiana, Haddad deixou de lado o perfil formal ligado à sua origem acadêmica e dançou e pulou sob os comandos da militância, abraçou mulheres e crianças, fez selfies com idosos e gravou passagens para a propaganda no horário eleitoral.

"Esse aqui é o Lula, rapaz. O Lula que mandou a voz dele, a mensagem dele, porque ele quer reconstruir o País com alegria. Todos nós somos mais Lula", afirmou o ex-prefeito ao Estado durante caminhada pelo bairro Liberdade, uma das maiores comunidades negras da América Latina, celeiro petista na periferia de Salvador e berço do bloco afro Ilê Aiyê. 

Haddad também se encontrou com lideranças de movimentos sociais e visitou a sede do Ilê Aiyê ao lado do governador Rui Costa (PT) e do ex-ministro e candidato ao Senado nas eleições 2018 Jaques Wagner (PT).

As gravações, além das ruas, aconteceram no estúdio da produtora Macaco Gordo, responsável por trabalhos para astros do axé. Foram supervisionadas por cineastas e marqueteiros responsáveis por orientar o candidato a vice-presidente na chapa do PT sobre como se portar diante das câmeras, privilegiando um Haddad mais despojado.

Durante todas as atividades que participou, ele repetiu diversas vezes que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva continua candidato ao Palácio do Planalto e colocou-se como "vice leal", nas palavras dele. 

 

‘Conexão Estadão’: Mercado reage mal às pesquisas eleitorais

Quando perguntado sobre a pesquisa Ibope/Estadão/TV Globo que apontou que 39% dos eleitorais de Lula não votariam nele para Presidência, ele evitou comentar o resultado. "Não estamos trabalhando com essa hipótese (de substituir o Lula) neste momento. O presidente Lula está pedindo seu registro, não está pedindo voto para um terceiro. Eu figuro na sua chapa como vice, com muita honra, para levar sua voz ao País todo, que é o que eu estou fazendo, e seu apoio à recondução de governadores como o Rui Costa", afirmou.

Nesta semana, entretanto, o petista vai se dedicar a visitas a estados nordestinos – uma estratégia de torná-lo conhecido do eleitorado na região onde o PT tem mais força. A Bahia foi o segundo Estado do Nordeste a ser visitado em uma semana por Haddad. Na sexta-feira, 17, o ex-prefeito de São Paulo esteve em Teresina, no Piauí. Nesta semana, ele também visitará os Estados de Sergipe nesta quarta-feira, 22, Paraíba (quinta-feira), Rio Grande do Norte (sexta-feira) e Maranhão (sábado). Visitas a Pernambuco, Ceará e Alagoas acontecerão na semana seguinte, em datas que ainda serão definidas. 

Coordenador da campanha presidencial do PT, o ex-presidente da Petrobrás José Sérgio Gabrielli disse que o ex-prefeito de São Paulo "está se adaptando ao processo de campanha" e por isso adotou um jeito mais próximo do ex-presidente Lula. 

"Nós estamos fazendo a campanha do Lula. A campanha do Lula é uma campanha de rua, uma campanha do povo, da alma do povo. O Haddad está fazendo a campanha que o Lula faria, porque o Haddad é o vice do Lula. O Haddad está representando o Lula, então ele tem que representar o que o Lula faria nesse momento", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.