PSOL
PSOL

Erundina oficializa candidatura em SP e defende articulação de sistemas de transporte

Candidata a prefeita, deputada do PSOL faz convenção neste domingo junto ao candidato a vice, o deputado Ivan Valente

Victor Aguiar , O Estado de S. Paulo

24 Julho 2016 | 12h42

SÃO PAULO - A deputada Luiza Erundina (PSOL) apontou a articulação dos sistemas de transporte de São Paulo e de demais municípios da Região Metropolitana como uma das medidas a serem adotadas para melhorar a mobilidade urbana da cidade, caso seja eleita prefeita o pleito deste ano. Erundina falou com a imprensa durante a manhã deste domingo, 24, antes do início da convenção do PSOL, no Diretório Municipal do partido. O evento marca a oficialização da candidatura de Erundina à Prefeitura e do deputado Ivan Valente (SP) a vice-prefeito. 

Também neste domingo estão acontecendo as convenções que confirmarão as candidaturas a prefeito de Celso Russomanno (PRB), Fernando Haddad (PT) e João Dória Júnior (PSDB).

"Uma solução só, um sistema só, não dá conta da complexidade e da dinâmica de uma cidade que se transforma anualmente", disse Erundina. "As pessoas moram em uma cidade e trabalham em outra. É necessário ter uma ação articulada entre a capital e os municípios da Região Metropolitana para potencializar e articular soluções".

Erundina também afirmou que pretende tomar medidas para o crescimento econômico de São Paulo, embora não tenha dado maiores detalhes sobre quais iniciativas poderão ser adotadas nesse sentido. "São Paulo representa quase 15% do PIB. Queremos imprimir iniciativas de governo voltadas ao crescimento econômico da cidade, para que se possa, com a economia crescendo, ampliar a capacidade de resposta das políticas públicas e sociais".

Candidato à vice-prefeitura de São Paulo na chapa do PSOL, o deputado Ivan Valente destacou o combate à desigualdade como um dos focos da chapa. "É preciso inverter as prioridades e atender os mais necessitados, como os pobres da cidade".

Erundina ainda indicou que outras prioridades do potencial governo PSOL estão na articulação de ações da secretaria de Cultura em conjunto coma s pastas de Educação e Comunicação, além de uma preocupação com questões ambientais da cidade.

Cidades. A candidata  afirmou que, caso eleita, irá trabalhar para fortalecer o papel das cidades junto ao governo federal e  o protagonismo de São Paulo em relação resto do País.

"Quando fui prefeita, articulei, com outros prefeitos de outras capitais, a criação da Frente Nacional de Prefeitos, que ainda existe", disse Erundina, em conversa com jornalistas antes do início da convenção do PSOL para definição da chapa que concorrerá à prefeitura . "Vamos continuar usando essa frente como um instrumento político para a defesa dos municípios".

A deputada ressaltou que o governo federal tem falado com os governadores em relação à renegociação de dívida dos Estados, e que também quer estabelecer uma linha de diálogo direta com o poder federal. "São Paulo não vai pedir de pires na mão a nenhum governo, vai exigir aquilo que contribui para a geração de riqueza do País".

Mídia e debates. Erundina afirmou ainda que o pouco tempo que sua chapa terá na mídia é um "limitador" que aumenta o desafio de sua campanha, e que o partido continuará lutando para que possa participar dos debates eleitorais. "Não vamos abrir mão do nosso direito. Vamos lutar até a última instância, vamos usar as redes sociais e a mídia alternativa", disse.

Erundina faz referência ao fato de que apenas os candidatos de partidos que tenham mais de nove representantes na Câmara dos Deputados possuírem presença garantida nos debates na mídia - o PSOL, hoje, tem apenas seis deputados. Apesar de a presença de candidatos que não preencham esses requisitos ser permitida, a participação deles é facultativa.

"No limite, vamos para a frente das emissoras que promoverem debates e negarem o nosso direito de estarmos lá defendendo nossas posições e vamos fazer uma assembleia popular para discutir com o povo, durante o tempo em que os outros candidatos estiverem se digladiando nos estúdios".

Alianças. Erundina também destacou a aliança formada com o PCB para a disputa das eleições em São Paulo. "O PCB vem junto para construir essa campanha e candidatura", disse. "Nossa expectativa é chegar ao segundo turno, e lá, ganhar as eleições e governar mais uma vez a cidade".

Segundo Erundina, apesar do pouco tempo de exposição na mídia, o PSOL aposta no diálogo com a sociedade e na militância política para vencer as eleições. "Estamos dialogando com todos os segmentos da sociedade e resgatando o interesse das pessoas pela política, tanto daqueles que militaram no passado e se encontravam afastados quando da juventude, que está se encantando com a política", afirmou. "Os debates estão sendo muito ricos porque não se dão apenas em torno da campanha, mas se faz um amplo debate político, pensando e repensando a cidade".

Candidato a vice-prefeito na chapa do Psol, o deputado Ivan Valente destacou que o financiamento da campanha do partido se dará principalmente por meio de contribuições voluntárias e individuais. "Será uma campanha muito dura, temos que lutar contra a falta de tempo na TV, a participação em debates e a capacidade financeira".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.