NELSON ANTOINE|FRAMEPHOTO
NELSON ANTOINE|FRAMEPHOTO

Erundina faz apelo a adversários para participar de debates eleitorais em SP

Pela minirreforma eleitoral de 2015, apenas candidatos de partidos com mais de 9 representantes na Câmara têm presença garantida e PSOL tem 6; entretanto, participação pode ocorrer caso dois terços dos elegíveis concordem

Thaís Barcellos, especial para o Estado, O Estado de S.Paulo

17 Junho 2016 | 19h31

A coordenação da campanha da deputada federal Luiza Erundina (PSOL-SP) à Prefeitura de São Paulo encaminhou uma carta aos pré-candidatos e aos diretórios estaduais dos partidos solicitando sua participação nos debates eleitorais para o pleito deste ano.

Pela minirreforma eleitoral de 2015, só os candidatos de partidos que tenham mais de nove representantes na Câmara dos Deputados têm presença garantida nos debates na mídia. Hoje, o Psol tem seis deputados federais. A participação dos outros candidatos é facultativa. No entanto, a Lei 13.165/15 permite a presença das candidaturas que não preencham esses requisitos, caso dois terços dos elegíveis concordem.

Na carta, o PSOL, representado pela presidência do diretório estadual, destacou que a participação da ex-prefeita e cinco vezes deputada por São Paulo, com 80% dos votos da capital, é "uma atitude de respeito aos eleitores da cidade". O partido também ressaltou que a presença de Erundina "engrandecerá o processo eleitoral e será benéfica a todos os candidatos, demonstrando altivez, espírito democrático e respeito à busca do bem comum". O PSOL ainda criticou a nova lei eleitoral por "amordaçar vozes e soluções".

Erundina concorre à Prefeitura de São Paulo com Ivan Valente, também deputado federal, como vice. A ex-prefeita pertence ao projeto Raiz, que foi abrigado pelo PSOL de forma "solidária", para que possa participar das eleições desse ano. A Raiz, criada com dissidentes da Rede Solidariedade em 2014, ainda não tem o número de assinaturas necessário para se formalizar como um novo partido no País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.