Empresa culpa contratadas e mercado

Os Correios informaram, em nota, que definem em contrato prazos para a entrega dos calendários de ano-novo em seus centros de distribuição. Segundo a empresa, o descumprimento das especificações do edital pelas contratadas é que "pode ocasionar eventuais atrasos", mas isso as sujeita a penalidades.

Andreza Matais e Fábio Fabrini, O Estado de S.Paulo

13 Janeiro 2014 | 02h04

Os Correios argumentam que a expectativa da empresa em 2013 era reduzir o valor pago pelos calendários, considerando que a quantidade encomendada era maior que a dos anos anteriores. "No entanto, o mercado não se comportou conforme previsto e apresentou preços superiores a R$ 3,50 (por unidade)", afirma a nota.

Em manifestação endereçada à Controladoria-Geral da União (CGU), os Correios afirmaram que "a pesquisa de mercado foi realizada de forma exaustiva a fim de buscar o maior número de propostas junto ao mercado, sendo necessárias várias prorrogações" e, por isso também, o atraso nas remessas.

Segundo os Correios, por causa das irregularidades constatadas na auditoria da CGU, foi aberto processo contra a A.R.Ribeiro, em decorrência de sua "conduta inidônea na licitação". Decisão de novembro a impediu de licitar e contratar com a União até 2017. Os representantes da empresa gaúcha não foram localizados pelo Estado.

Os calendários de 2014, segundo os Correios, serão entregues a empregados, associados de entidades ligadas à empresa pública, agências franqueadas e clientes corporativos e de relacionamento institucional.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.