Empreiteira vai negar vínculo com Cachoeira e com senador

Segundo o advogado da Delta, grampos indicam que apenas ex-diretor conhecia o contraventor e Demóstenes Torres

Fausto Macedo - O Estado de S.Paulo

02 Maio 2012 | 03h05

No centro do escândalo que a envolve com a rede de influências do contraventor Carlinhos Cachoeira e do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), a Delta Construção, detentora de contratos que somam R$ 4,3 bilhões com o governo federal, prepara sua defesa na arena política. Perante a CPI do Cachoeira, que nesta quarta-feira, 2, abre seus trabalhos no Congresso, a estratégia é negar tudo, do começo ao fim, negar relações de Fernando Cavendish - presidente afastado do Conselho de Administração - com Cachoeira e com Demóstenes, e optar pela colaboração.

"Ele(Cavendish) está absolutamente ciente de que quando comparecer à CPI prestará todos os esclarecimentos devidos. Irá colaborar com as investigações, até porque não tem receio de nenhuma pergunta, nenhuma colocação", assinala o criminalista José Luís de Oliveira Lima, defensor da Delta e da Cavendish.

Experiente, com atuação marcante nos tribunais, Oliveira Lima sabe que a missão que assumiu não é tão simples. Sua tática, no entanto, não muda - ele trabalha rigorosamente com o que está nos autos, pois sabe que é assim que funciona o universo forense. Oliveira Lima não sei deixa perturbar pelo clamor da opinião pública.

O que a Delta dirá à CPI?

Não sei o que será perguntado ao dr. Fernando Cavendish. Mas eu tenho certeza que, ao final de seu depoimento, ele terá esclarecido que presidia uma empresa com 30 mil funcionários e que chegou ao posto de 6.ª maior do seu ramo no País. Alcançou esse patamar privilegiado pela excelência do serviço prestado em suas obras e seu compromisso de entregar o que há de melhor no mercado da construção civil.

Cavendish responderá a todas as indagações da CPI?

Ele está absolutamente ciente de que quando comparecer à CPI prestará todos os esclarecimentos devidos. Irá colaborar com as investigações, até porque não tem receio de nenhuma pergunta, nenhuma colocação. Fernando Cavendish sempre pautou sua gestão à frente da construtora pela responsabilidade e correção dos negócios.

Por que ele deixou a presidência da Delta?

Ele se afastou da presidência do Conselho de Administração para permitir que a auditoria por ele próprio determinada tenha curso sob total transparência.

Diante de tantas evidências qual a estratégia de defesa?

Que evidências?

Os grampos não evidenciam relações da Delta com o contraventor Carlinhos Cachoeira?

Não há nenhuma evidência desse relacionamento. Fernando Cavendish não tem e nunca teve nenhum relacionamento com o empresário Carlos Cachoeira. A demonstração cabal da inexistência dessa relação é que nos autos das investigações da Operação Monte Carlo, que durou mais de 18 meses, não há nenhum áudio, nenhum telefonema entre Carlos Cachoeira e Fernando Cavendish.

Os relatórios da PF não citam Cavendish?

Eu afirmo que não há nenhum relatório da PF e nenhuma manifestação do Ministério Público apontando qualquer participação de Cavendish com os fatos mencionados na Operação Monte Carlo.

Cavendish é amigo do senador Demóstenes Torres?

Não tem nenhuma relação com o senador Demóstenes Torres.

Qual o grau de relação da Delta com Cachoeira?

Nenhum. Não há nenhuma relação da construtora com Carlos Cachoeira. O que existe, aparentemente, segundo os autos, é uma relação do ex-diretor da Delta para a Região Centro Oeste (Cláudio Abreu, preso na semana passada) com Carlos Cachoeira.

Cachoeira é sócio oculto da Delta?

É uma suspeita descaradamente mentirosa. A Delta não tem nenhum sócio oculto. Os sócios da Delta são os que constam dos devidos registros legais.

O nome de Cavendish aparece nos grampos da PF no bojo da Monte Carlo.

Esse vazamento de interceptações telefônicas a conta gotas é criminoso e tem a intenção clara de tumultuar o andamento das investigações e colocar pessoas inocentes no centro dos fatos Não existe nenhuma relação entre Cavendish e Cachoeira ou com qualquer pessoa mencionada na investigação.

Mas o nome do executivo da Delta é citado.

É necessário verificar se o Fernando que é mencionado é mesmo Fernando Cavendish. Ele pode ter tido seu nome usado de maneira leviana e inadequada. Reafirmo que Fernando Cavendish não tem nenhuma relação com os fatos da Monte Carlo.

Uma interceptação mostra supostamente Cavendish afirmando que é possível ganhar contratos subornando políticos. O que o sr. diz sobre isso?

É importante registrar que esse áudio, que não tem nenhuma relação com a operação Monte Carlo, foi gravado clandestinamente e editado fora do contexto, tendo sido gravado por dois ex-sócios de Fernando que estão sendo processados criminalmente por ele.

Geraldo Alckmin afirmou que o governo paulista irá rever os contratos do Estado com a Delta Construção. Como a empresa vai reagir?

A Delta não tem nenhuma preocupação com os contratos que celebrou com diversas prefeituras e governos estaduais. Tão logo seja solicitado por São Paulo ou qualquer outro Estado documentos e informações a Delta estará à disposição. Imediatamente, a empresa irá responder às solicitações e entregará todos os documentos cabíveis, demonstrando a lisura da empresa quando participou dos processos de concorrência e fechou os contratos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.