Empreiteira diz que 'benefícios' eram parte dos contratos

Na defesa que apresentou à Controladoria-Geral da União, a Delta alegou que os pagamentos dos benefícios a servidores decorriam de cláusula contratual. Caberia à empresa, por exemplo, custear o uso de um veículo para a fiscalização dos contratos.

O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2012 | 03h07

Quanto às passagens que teriam sido doadas a engenheiros e outros funcionários da administração federal, a empresa alegou que se tratavam também de viagens que eles teriam de fazer por diversas regiões, para fiscalizar o andamento das obras.

A empresa não esclareceu, no entanto, por que, embora as obras estivessem no próprio Estado, há casos de passagens pagas pela Delta para deslocamentos para Recife e São Paulo, além de diárias pagas em hotéis de Brasília e Fortaleza. / V. M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.