Beatriz Bulla/Estadão
Beatriz Bulla/Estadão

Em Washington, eleitores brasileiros viajam e vão à urna pela primeira vez para garantir voto

160 mil eleitores votaram nos Estados Unidos e muitos deles encararam horas de estrada para votar

Beatriz Bulla / Washington, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2018 | 21h42

Há 28 anos morando nos Estados Unidos, Daniel Messina decidiu votar na eleição presidencial brasileira pela primeira vez desde que mora no exterior. “Nunca vi uma opção como a que nós temos hoje com (Jair) Bolsonaro”, disse Messina, que é pastor, sobre seu voto no candidato do PSL. Com a família, ele viajou quatro horas de carro da Carolina do Norte, onde mora, para votar em Washington, capital dos EUA. 

“Nunca dei suporte à ideologia da esquerda.  Nunca fiz questão de votar por causa disso”, afirma Messina, que acredita que estar nos Estados Unidos “dá uma consciência maior para votar”. A viagem de volta será feita ainda na tarde deste domingo. 

Ele é um dos 500.727 brasileiros que moram no exterior e podem votar nessa eleição, segundo o Tribunal Superior Eleitoral. Deste número, 160 mil estão nos Estados Unidos. As cidades de Boston e de Miami são as que têm o maior número de brasileiros votando fora do país, com 35.044 e 34.356 eleitores, respectivamente. 

Rose Flint, que há 15 anos mora nos Estados Unidos, também encarou um bate e volta de mais de 2 horas de viagem de carro para votar em Washington. Ela é professora aposentada no Brasil e diarista nos EUA e também votou em Bolsonaro. “Agora vou correr de volta para acompanhar o resultado online”, disse Rose, enquanto tirava fotos com a bandeira do Brasil ao lado de outras apoiadoras do candidato do PSL. “Queremos uma democracia de verdade, precisamos extinguir a corrupção. Moramos aqui mas nosso coração está no Brasil”, disse Rose.

Já Katia Holanda, moradora de Virginia, sempre votou nas eleições presidenciais brasileiras nos 16 anos em que mora nos EUA. Ela votou em Ciro Gomes, candidato do PDT, apesar de ele não ter sido sua preferência inicial. A indicação das pesquisas eleitorais fez com que ela decidisse o voto deste domingo. “Votei para ele ir ao segundo turno. Tínhamos outros candidatos ficha limpa e que poderiam ter sido votados”, afirmou.

A votação em Washington vai até as 17h no horário local (18 horas no Brasil). São 13.033 eleitores registrados para votar nessa jurisdição. Em 2014, foram 10.075 inscritos e o comparecimento foi de 34,7%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.