TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

Em vídeo, Doria diz que contratará 'melhores advogados' para PMs

Governador eleito declarou, ainda, que próximo secretário da Segurança Pública será policial

Priscila Mengue, O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2018 | 00h54

O governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou neste domingo, 28, que pretende disponibilizar assessoria jurídica para policiais que responderem a processos judiciais por ações violentas. Em vídeo divulgado nas redes sociais do deputado Coronel Telhada (PP), ele disse que contratará os "melhores" advogados.

"O que vamos acrescentar, isso sim, é assistência jurídica. Me constrange saber que um policial militar, independentemente da sua graduação, que está defendendo a população na rua, mata um bandido, tem uma situação qualquer em que ele se defendeu e defendeu o cidadão e ele depois, em um processo, ainda tem que pagar um advogado para defender", disse.

"Nós vamos colocar (...) os melhores. Porque nós temos que defender o direito também dos policiais, que defendem as nossas vidas, de terem assistência jurídica correta", completou.

Na gravação, Doria ainda garantiu que o próximo secretário estadual da Segurança Pública será um policial. Desde 2016, o cargo é ocupado pelo procurador de Justiça Mágino Alves Barbosa Filho. 

"A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo não será mais comandada por promotor nenhum - com todo respeito, não estou estigmatizando, nem desrespeitando o atual secretário, nem os que já passaram pela secretaria -, mas, comigo, a Secretaria de Segurança Pública será comandada por um policial. E vamos construir isso junto com a Polícia Militar e com a Polícia Civil, polícias integradas atuando para melhor defender São Paulo."

O governador eleito ainda declarou que pretende "reequipar a Polícia Militar" com os "melhores armamentos disponíveis no mundo" e "gradualmente melhorar o salário"."Vamos reequipar a polícia, e rápido também. Não quero negócio de automóvel velho, caindo aos pedaços, os equipamentos ruins, armas ruins, coletes a prova de balas vencidos. Vamos ter os melhores uniformes, os melhores equipamentos, a melhor tecnologia."

Ele disse, ainda, que não fará mudanças na previdência de policiais do Estado e que pretende investir no diálogo com outros países. "Vamos valorizar o intercâmbio internacional, com a polícia americana, polícia inglesa, polícia japonesa, polícia alemã. (...) Vamos trazê-los para cá e levar os policiar militares para lá, para treinamento de verdade."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.