Em solo paulista, falando de Grécia

Restaurante português abrigou 'almoço família'

O Estado de S.Paulo

19 de maio de 2012 | 03h03

Sentados à mesa de um restaurante na cidade que será o palco da eleição municipal mais importante para o PT este ano, os principais líderes do partido decidiram conversar sobre a economia da Grécia. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff reuniram ministros e dirigentes da sigla para um almoço com seu pré-candidato à Prefeitura, Fernando Haddad. Os petistas juram que não se falou uma palavra sobre a campanha.

"Nós nem tratamos disso. O almoço girou todo em torno da questão internacional", contou Haddad. "Lula e Dilma discutiram a situação da Europa e o papel dos Brics em suas regiões."

Dilma foi recebida por Lula e Haddad na porta do restaurante português escolhido pelo ex-presidente para o encontro, na zona oeste da capital. "Ele (Lula) está cada dia mais bonito, você não acha?", disse Dilma à ex-primeira-dama Marisa Letícia.

Apesar de manter discrição sobre a relação entre o almoço e sua candidatura, Haddad aproveitou a ocasião para captar imagens para sua propaganda eleitoral na TV. Uma equipe do marqueteiro João Santana acompanhou o ex-ministro, e gravou o momento de seu encontro com Lula e Dilma.

O grupo se sentou em um espaço reservado nos fundos do restaurante. Dilma e Lula ficaram frente a frente. A presidente estava entre Haddad e o ministro da Educação, Aloizio Mercadante. Ao lado de Lula, ficaram Marisa Letícia e o deputado federal Arlindo Chinaglia.

Além de Mercadante, estavam no almoço os ministros Gilberto Carvalho e Helena Chagas. Lula também recebeu o prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho, o presidente do PT-SP, Edinho Silva, e o coordenador da campanha de Haddad, Antonio Donato.

Os petistas comeram pratos de bacalhau cozido e à dorê. Cada porção do peixe para quatro pessoas custava até R$ 338. A conta foi paga pelo Instituto Lula.

Dilma ficou 1h30 no restaurante, visitou a cozinha e cumprimentou os funcionários. Na saída, não quis dar entrevista e, apesar de estar acompanhada por Haddad a todo momento, não se manifestou sobre sua pré-candidatura.

Depois do encontro que reuniu a cúpula do partido, Haddad precisou explicar que não conversou sobre a campanha com Lula e Dilma. A economia foi mesmo o principal tema da mesa.

"A avaliação da presidente é que a economia brasileira está preparada. A preocupação é com o contexto internacional", resumiu o ex-ministro da Educação. / B.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.