Em São Luís, PM é baleado ao fazer segurança de seção eleitoral

De acordo com as primeiras informações, ele foi surpreendido por um grupo de cinco homens e houve troca de tiros

Ernesto Batista, Especial para O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2014 | 18h23

SÃO LUÍS - Um policial militar identificado como Enivaldo Martins foi ferido com um tiro na perna esquerda quando fazia segurança das seções eleitorais que funcionaram na Unidade Integrada Uruati, na zona rural de São Luís.O incidente aconteceu no final da manhã deste domingo e foi um dos poucos mais sérios registrados no pleito no Maranhão.

De acordo com as primeiras informações, ele foi surpreendido por um grupo de cinco homens e houve troca de tiros quando Enivaldo respondeu aos disparos efetuados contra ele, que foi incorporado a PM este ano. O policial ferido foi levado para o Hospital do Servidor no renascença, e não corre risco de morte.

Até o fechamento desta edição, os suspeitos de atirar contra o policial militar ainda não haviam sido identificados, porém já se sabe que o grupo fugiu em um carro GM Agile, de cor branca. O Grupo Tático Aéreo (GTA) deslocou uma aeronave para fazer buscas na zona rural da capital e a inteligência da PM está investigando o caso. Não se sabe se o crime tem ligação com a Eleição ou se é um acerto de contas com o policial.

Imperatriz. Outro incidente registrado no inteiro do estado foi a prisão do secretário municipal de administração de Imperatriz, Iramar Cândido. Ele é acusado de fazer boca de urna na Praça da Bíblia, no centro da cidade. 

Imperatriz, localizada a 600 quilômetros de São Luís, é o segundo colégio eleitoral do estado e é governada por Sebastião Madeira, um dos principais caciques do PSDB no Maranhão. 

Cândido foi detido pela Polícia Militar por estar usando um crachá de fiscal da campanha de Aécio Neves e estaria abordando eleitores e distribuindo broches. Ele foi levado para a Polícia Civil e depois conduzido a Polícia Federal. 

Em todo o Maranhão, até o fechamento desta matéria, 72 urnas haviam sido substituídas e a votação já se encerrou. No estado, houve votação apenas para presidente. Não houve formação de fila e os primeiros relatórios de apuração de urna já começaram a ser transmitidos para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.