Sebastiao Moreira/EFE
Sebastiao Moreira/EFE

Em sabatina, Marina critica recriação de imposto similar à CPMF

Princípios da nossa reforma tributária são a simplificação, descentralização e combate à injustiça tributária, diz a candidata da Rede

Cristian Favaro, O Estado de S.Paulo

19 de setembro de 2018 | 18h04

A candidata da Rede à Presidência nas eleições 2018, Marina Silva, se posicionou de forma contrária à implementação da CPMF (imposto sobre movimentações financeiras). O tema voltou à tona após o principal assessor econômico do líder nas pesquisas Jair Bolsonaro (PSL), Paulo Guedes, ter defendido a criação de um novo imposto sobre as transações financeiras nos moldes da antiga CPMF. "Eu sou contra recriar CPMF e nós temos uma proposta de reforma tributária", disse, nesta quarta-feira, 19, a jornalistas depois de participar de sabatina no Fórum Páginas Amarelas, da revista Veja.

"Bebemos na fonte da proposta que foi apresentada pelo Centro de Cidadania Fiscal. Os princípios da nossa reforma tributária são a simplificação, descentralização, combate à injustiça tributária - porque os que são mais pobres acabam pagando mais - e o princípio da impessoalidade", afirmou a candidata da Rede.

Ainda de acordo com Marina, esses princípios vão ajudar a criar uma reforma tributária que favoreça os municípios para que eles "não fiquem com o pires na mão, sobrevivendo de mesadas do governo federal". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.