'Em qualquer lugar tem irregularidades'

O ministro do Trabalho, Manoel Dias, defendeu nesta terça-feira, 10, o seu partido, o PDT, e afirmou que irregularidades como as apontadas pela Polícia Federal na Operação Esopo existem "em qualquer lugar".

Eduardo Bresciani / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

11 de setembro de 2013 | 02h03

Ele negou proximidade com o ex-assessor Anderson Brito, que se entregou à Polícia Federal. Afirmou que não demitiu de imediato o secretário executivo da ministério, Paulo Roberto Pinto, porque precisava "amadurecer" o caso.

"Em qualquer lugar tem irregularidades, não só no Ministério do Trabalho." Segundo o ministro, não há comprovação de atos indecorosos ou de corrupção de seu partido na pasta. "Somos um partido ficha limpa."

Manoel Dias pediu que Estados e municípios suspendam os repasses de convênios com o Instituto Mundial do Desenvolvimento e da Cidadania que envolvem recursos da pasta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.