Reprodução
Reprodução

Em propaganda, Anastasia prega voto útil e é criticado por Pimentel

Campanha do candidato do PSDB acredita em vitória no primeiro turno; inserção foi retirada do ar pelo Tribunal Regional Eleitoral

Jonathas Cotrim, O Estado de S.Paulo

03 Outubro 2018 | 18h28

BELO HORIZONTE - A quatro dias para as eleições 2018 e depois de intensificar os ataques contra o atual governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, que tenta a reeleição pelo PT, o candidato do PSDB, Antonio Anastasia, decidiu atacar também as campanhas de Adalclever Lopes, do MDB, e Romeu Zema, do Novo, em uma propaganda em que prega o voto útil já no primeiro turno.  

Apesar de liderar a última pesquisa Ibope, divulgada na terça-feira, 2, com 33% das intenções de voto, a campanha de Anastasia quer evitar o segundo turno. Pimentel aparece em segundo lugar, com 22%, enquanto Romeu Zema tem 10% e Adalclever, 4%.

Na inserção, que foi divulgada na televisão, dois homens conversam sobre a eleição, sendo que um deles afirma que está em dúvida entre votar no candidato do MDB e do Novo. “Os votos que vão para o Zema ou para o Adalclever podem levar a eleição para o segundo turno. E segundo turno é outra eleição, não é?”, diz um dos personagens, que afirma que pretende votar no postulante do PSDB.

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MG) atendeu, na segunda-feira, 1, a um pedido de tutela provisória de urgência, movida pela coligação do PT, que pedia a suspensão da veiculação da propaganda de Anastasia. O desembargador do tribunal, Alexandre Victor de Carvalho, considerou que a “inserção ocupada totalmente por imagens externas e sem a presença do candidato”, poderia ser considerada propaganda irregular.

A inserção foi alvo de críticas pelos adversários no debate desta terça-feira, 2, na Rede Globo. Logo na primeira pergunta, Fernando Pimentel chamou a campanha de “falta de respeito com o eleitor” e questionou o que Adalclever Lopes achou da propaganda. “Eu vi com muita indignação, um absurdo contra a democracia. Aquilo demonstra um medo de que a democracia se instale”, disse o candidato do MDB.

Adalclever ainda afirmou que a propaganda seria um exemplo dos motivos pelos quais o MDB historicamente se manteve como oposição aos governos do PSDB. “Nunca fiz composição pela arrogância, pois eles (PSDB) querem impor a sua vontade. Eles acham que Minas é o curral deles”, disse.

Romeu Zema, por meio de nota divulgada por sua assessoria de imprensa, também classificou a inserção do PSDB como uma “afronta à democracia”. “Este comercial comprova uma política de baixo nível para tentar tirar voto do adversário, quando ele deveria era estar focando em suas propostas e benfeitorias ao Estado”, declarou.

Nesta quarta-feira, antes de se reunir com dirigentes da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais, Fernando Pimentel voltou a criticar a campanha de Antonio Anastasia. “Me pareceu estranho, induzindo o eleitor a mudar o voto, com um argumento que não tem cabimento na democracia, de evitar um segundo turno”, disse o governador.

Por meio de nota, a campanha de Anastasia negou que a propaganda tentasse induzir o eleitorado. “A inserção sugere ao eleitor uma reflexão sobre qual é o candidato com maiores chances de vencer Pimentel e seu partido, já no primeiro turno, que tem rejeição altíssima em Minas”. A campanha disse que não recorrerá contra a decisão do TRE-MG.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.