Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Em Porto Alegre, Manuela D’Ávila lidera em presença nas redes sociais

Candidata do PCdoB tem mais seguidores do que a soma de todos os outros concorrentes

Lucas Rivas, especial, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2020 | 20h22

PORTO ALEGRE – Iniciada a campanha eleitoral, os candidatos à Prefeitura de Porto Alegre pisaram o pé no acelerador para turbinar as ações nas redes sociais. Dos 13 postulantes ao cargo, Manuela D’Ávila (PCdoB) está léguas de distância à frente dos demais com relação aos seguidores nas redes sociais. Em 2018, as redes tiveram um papel importante na campanha e contribuíram para eleger Jair Bolsonaro.

Somando os seguidores do Instagram, Facebook e Twitter, Manuela conta com apoio de quase 4,4 milhões de pessoas. Não é possível saber quantos são seguidores em mais de uma rede. Juntos, os 12 adversários não somam 1,3 milhão de adeptos. O prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB), que disputa a reeleição em meio a um processo de impeachment, é o segundo candidato mais influente na internet, totalizando 412 mil seguidores com as mesmas três redes sociais. O eleitorado de Porto Alegre é formado por quase 1,1 milhão de pessoas, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Formada em Jornalismo, Manuela pode ser considerada veterana em redes sociais. Em 2004, ela já prestava contas de seu mandato de vereadora por meio do extinto Orkut. Desde lá, a visibilidade dela mudou de patamar, ao concorrer à vice-presidência na chapa com Fernando Haddad (PT), em 2018. “As redes sempre foram algo importante. Até por ser da área da Comunicação, é mais fácil entender a potencialidade que elas têm de estabelecer relações. As redes estarão mais no centro do debate por ser uma campanha totalmente atípica”, afirma Manuela ao Estadão.

Embora parte dos seguidores de Manuela seja de fora do Rio Grande do Sul, ela conta com um grupo cativo de apoiadores na capital, garante a coordenadora das redes sociais da candidata, Marina Lopes. “Como o conteúdo não é somente sobre Porto Alegre e sobre a campanha, as pessoas querem saber a opinião da Manuela sobre o que está acontecendo em nível nacional”, diz. A candidata ainda conta com um canal no YouTube com mais de 50 mil inscritos, além do TikTok, com 36 mil seguidores.

Para Entender

Calendário Estadão

As datas, definições partidárias, candidaturas e a cobertura especial do jornal das campanhas pelo País e nos Estados Unidos

Apesar de parte dos seguidores de Manuela ser de outras regiões, o cientista político e professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Rodrigo Stumpf González, acredita que a candidata larga em vantagem em função da experiência digital somada ao perfil do seus eleitores. “Manuela já tem estrutura de campanhas anteriores e um eleitorado jovem, que se identifica com o uso das redes. Os outros candidatos que entraram depois (nas redes), provavelmente, vão depender mais da assessoria para as postagens, pois têm um eleitorado mais analógico”, afirma.

Confira os seguidores dos candidatos

Manuela D’Ávila (PCdoB)

Instagram: 1,9 milhão

Facebook: 1,4 milhão

Twitter: 1 milhão

Nelson Marchezan (PSDB)

Facebook - 264,8 mil

Twitter - 101,9 mil

Instagram - 45 mil

Fernanda Melchionna (PSOL)

Facebook - 179,5 mil

Twitter - 103,5 mil

Instagram - 79,1 mil

Youtube - 6,5 mil

Juliana Brizola (PDT)

Facebook - 100 mil

Twitter - 22,3 mil

Instagram - 18,4 mil

Rodrigo Maroni (Pros)

Facebook - Uma conta com 79,1 mil e outra 6,5 mil

Instagram - 1,3 mil

Valter Nagelstein (PSD)

Facebook - 56,8 mil

Instagram - 8,8 mil

Twitter - 5,2 mil

Sebastião Melo (MDB)

Facebook - 55,3 mil

Twitter - 25,2 mil

Instagram - 10,9 mil

João Derly (Republicanos)

Facebook - 54,3 mil

Instagram - 15,9

Twitter - 11,7 mil

José Fortunati (PTB)

Twitter - 92 mil

Facebook - 27,1 mil

Instagram - 7,2 mil

Gustavo Paim (PP)

Facebook - 6,4 mil

Instagram - 3,9 mil

Twitter - 3,5 mil

Júlio Flores (PSTU)

Facebook - 1,6 mil

Twitter - 425

Montserrat Martins (PV)

Facebook - 1,1 mil

Twitter – 84

Luiz Delvair Martins (PCO)

Tem apenas conta pessoal no Facebook, sem informações de campanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.