Dida Sampaio/Estadão/Divulgação
Dida Sampaio/Estadão/Divulgação

Em PE, principais candidatos ao governo apelam para Lula e Campos na propaganda eleitoral

Armando Monteiro e Paulo Câmara fizeram menções ao ex-presidente petista e ao ex-governador, morto em 2014

Kleber Nunes, O Estado de S.Paulo

31 de agosto de 2018 | 22h39

RECIFE – No primeiro dia de propaganda eleitoral no rádio e na TV em Pernambuco nas eleições 2018, os candidatos mais competitivos ao governo do Estado repetiram a estratégia que vem sendo executada desde o período de pré-campanha: o de se vincular a imagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e ao ex-governador Eduardo Campos, morto em 2014.

O governador e candidato à reeleição, Paulo Câmara (PSB) e seu principal opositor, senador Armando Monteiro Neto (PTB), mesclaram discursos e imagens das respectivas convenções partidárias com menções ao petista, que está preso em Curitiba por corrupção passiva e lavagem de dinheiro desde abril.

Câmara e Monteiro lideram a corrida ao Palácio do Campo das Princesas. De acordo com pesquisa Ibope de intenção de votos divulgada no dia 20 de agosto, o governador tem 24% da preferência do eleitorado enquanto o senador registra 21%. O levantamento, com margem de erro de três pontos porcentuais para mais e para menos, mostra que a disputa reedita a polarização da disputa travada em 2014 entre os dois candidatos.

“Quero aproveitar para fazer uma homenagem e (prestar) a minha solidariedade aquele que querem calar a voz, mas o povo de Pernambuco não vai deixar não. O meu abraço ao ex-presidente Lula, Lula livre. É hora de saber muito bem de que lado a gente está, é hora de saber quem está do lado do povo e quem está do lado do Temer, quem está do lado do bem e quem está do outro lado”, afirma o governador na propaganda. Câmara também lembrou Campos e o avô, Miguel Arraes, morto em 2005.

Com fotografias ao lado de Eduardo Campos e de Lula, Armando Monteiro diz “que é o mais preparado” para governar e alfineta o adversário que aparece em imagens em preto e branco. “Pernambuco terá um governador com autoridade”, afirmou.

Principal candidato de oposição, Monteiro abriu sua campanha nas cadeias de rádio e TV exibindo trechos de reportagens sobre o aumento da violência no Estado, greve dos servidores da educação, enchentes e palafitas. Após mostrar imagens do eixo leste da transposição do São Francisco, obra iniciada pelas gestões petistas, o candidato critica o atual governador.

“Pernambuco está andando em duas velocidades, a do governo que é lenta, câmera lenta, e a do povo que exige com urgência a solução para seus problemas. Nós fomos experimentar alguém que não estava treinado e estamos pagando um custo alto”, declarou o petebista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.