Thiago Queiroz/Estadão
Thiago Queiroz/Estadão

Em oficialização de candidatura, Amoêdo fala em desejo de ser 'servidor' e 'ajuda do PT'

Durante discurso à militantes do Partido Novo, o empresário alfinetou os governos petistas e a 'velha política'

Mateus Fagundes, O Estado de S.Paulo

04 de agosto de 2018 | 18h35

Em ato que formalizou na tarde deste sábado, 4, sua candidatura à Presidência pelo Partido Novo, João Amoêdo afirmou que deseja ser "servidor" da população. No discurso de onze minutos, houve ironias direcionadas ao PT e à 'velha política'.

"Nós queremos uma sociedade mais unida. Eu quero ser um servidor dos brasileiros", afirmou Amoêdo, em discurso à militância do partido.

Ao minimizar a pontuação nas pesquisas eleitorais, Amoêdo disse que "o 1% dele enche todas as salas em que vai". "Nosso desafio não é só eleitoral. É o de mudar o Brasil", afirmou.

Houve menções ainda ao PT a a outros partidos. Segundo Amoêdo, os governos petistas "ajudaram a aumentar a sensação da necessidade da mudança". "O PT destruiu economicamente o País. A velha política afronta a nação. Mas o cidadão está mais consciente", afirmou.

No momento em que agradeceia o apoio da família, o microfone do candidato falhou. Uma mulher da plateia gritou que era "boicote do PT". Os apoiadores riram.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.