Thiago Queiroz/Estadão
Thiago Queiroz/Estadão

Em oficialização de candidatura, Amoêdo fala em desejo de ser 'servidor' e 'ajuda do PT'

Durante discurso à militantes do Partido Novo, o empresário alfinetou os governos petistas e a 'velha política'

Mateus Fagundes, O Estado de S.Paulo

04 Agosto 2018 | 18h35

Em ato que formalizou na tarde deste sábado, 4, sua candidatura à Presidência pelo Partido Novo, João Amoêdo afirmou que deseja ser "servidor" da população. No discurso de onze minutos, houve ironias direcionadas ao PT e à 'velha política'.

"Nós queremos uma sociedade mais unida. Eu quero ser um servidor dos brasileiros", afirmou Amoêdo, em discurso à militância do partido.

Ao minimizar a pontuação nas pesquisas eleitorais, Amoêdo disse que "o 1% dele enche todas as salas em que vai". "Nosso desafio não é só eleitoral. É o de mudar o Brasil", afirmou.

Houve menções ainda ao PT a a outros partidos. Segundo Amoêdo, os governos petistas "ajudaram a aumentar a sensação da necessidade da mudança". "O PT destruiu economicamente o País. A velha política afronta a nação. Mas o cidadão está mais consciente", afirmou.

No momento em que agradeceia o apoio da família, o microfone do candidato falhou. Uma mulher da plateia gritou que era "boicote do PT". Os apoiadores riram.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.