Em nota, Siemens 'refuta acusações sem prova oficial'

O atual presidente da Siemens, Paulo Stark, emitiu ontem uma nota em que a empresa "refuta quaisquer acusações que não sejam baseadas em provas validadas por órgãos oficiais competentes e que denigram a imagem, seja da empresa, de governos, partidos políticos, pessoas públicas ou privadas, ou qualquer integrante da sociedade".

Bruno Ribeiro, O Estado de S.Paulo

10 de agosto de 2013 | 02h08

A empresa nunca confirmou ter denunciado o esquema de cartel para o Cade (uma vez que o acordo de imunidade é sigiloso). Diz apenas que coopera com as autoridades.

Na nota, Stark afirma que, desde 2007, a Siemens tem uma política de Compliance (integridade e obediência às leis) para "detectar, remediar e prevenir práticas ilícitas que porventura tenham sido executadas, estimuladas ou toleradas por colaboradores e chefias da Siemens", mas diz que a colaboração pode ser vista de forma equivocada - a empresa está no meio de um escândalo. Stark reitera o compromisso de uma conduta ética da empresa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.