Em nota, João Vaccari nega acusações de Costa

Secretário Nacional de Finanças do PT afirma ainda que vai 'processar civil e criminalmente aqueles que têm investido contra sua honra e reputação'

O Estado de S. Paulo

09 de outubro de 2014 | 17h51

São Paulo - Em nota divulgada na tarde desta quinta-feira, 9, a Secretaria Nacional de Finanças do PT negou as acusações feitas pelo ex-diretor da Petrobrás Paulo Roberto Costa de que João Vaccari Neto, secretário nacional de finanças da sigla, era o responsável por repassar os 3% de propina nos contratos da Petrobrás destinados ao PT. A secretaria afirma ainda que Vaccari vai "processar civil e criminalmente aqueles que têm investido contra sua honra e reputação".

Na nota, a Secretaria afirma que o depoimento de Costa à Justiça está "carregado de afirmações distorcidas e mentirosas". "o secretário João Vaccari Neto nunca tratou sobre contribuições financeiras do partido, ou de qualquer outro assunto, com o sr. Paulo Roberto Costa", afirma o texto que afirma ainda que os advogados do PT não têm acesso aos depoimentos o que impede o "exercício constitucional da ampla defesa".

"Reiteramos que as contribuições financeiras recebidas pelo PT são transparentes e realizadas sempre de acordo com a legislação em vigor.", continua o texto.


Veja a íntegra da nota abaixo:

"Nota da Secretaria Nacional de Finanças do PT

A Secretaria Nacional de Finanças do PT informa que o secretário João Vaccari Neto nunca tratou sobre contribuições financeiras do partido, ou de qualquer outro assunto, com o sr. Paulo Roberto Costa. O depoimento prestado por ele à Justiça está carregado de afirmações distorcidas e mentirosas.

Essas acusações, difundidas insistentemente por meio de notícias na imprensa, sem possibilidade de acesso de nossos advogados aos depoimentos, impedem o direito ao exercício constitucional da ampla defesa.

Reiteramos que as contribuições financeiras recebidas pelo PT são transparentes e realizadas sempre de acordo com a legislação em vigor. 

Diante de tantas acusações infundadas, o secretário de Finanças vai processar civil e criminalmente aqueles que têm investido contra sua honra e reputação.

Secretaria Nacional de Finanças do PT"

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesPetrobrasPT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.