Em Minas, Pimentel evita embates acirrados com Pimenta

Em debate dos candidatos ao governo do Estado, petista, líder nas pesquisas não quis confronto direto com principal adversário

Suzana Inhesta, O Estado de S. Paulo

27 de setembro de 2014 | 01h06

Depois de se ausentar nos debates realizados pela Rede TV!, no domingo, e do Grupo Diários Associados/TV Alterosa/SBT, na última terça-feira, alegando saúde debilitada por uma faringite, o candidato ao governo de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT) evitou um confronto acirrado com o tucano Pimenta da Veiga (PSDB) no debate realizado na noite desta sexta-feira pela TV Record Minas.

Assim que começou o encontro, Pimenta foi o primeiro a fazer a pergunta direcionada ao petista. Ele perguntou a Pimentel sobre ele se dizer o melhor prefeito de capital mineira. Pimentel diz que a população de BH pode atestar isso. "Fui prefeito de BH por sete anos, fui reeleito e saí do segundo mandato com uma avaliação positiva, atestada por pesquisas, de quase 90% da população", disse o petista. 

Pimenta retrucou que ele não explicou e afirmou que é "muita petulância dizer que é melhor do que JK!". Pimentel, por sua vez, afirmou que o candidato do PSDB estava fazendo "um papel que não cabe". "Não estamos aqui debatendo o caráter, o campeonato, quem ganhou, quem perdeu. Isso, sinceramente, é coisa de quem não conhece Minas. Estamos aqui discutindo propostas para o governo de Minas Gerais. O eleitor mineiro não se deixa enganar por esse tipo de lorota. Não vou baixar o nível dessa discussão", declarou.

Até o fim do debate, Pimenta o questionou mais quatro vezes sobre o mesmo assunto quando tinha a oportunidade de ter a palavra. Pimentel manteve o mesmo discurso de que não iria responder à altura do adversário, mas sim discutir propostas.

Juntamente com Tarcísio Delgado (PSB) e Fidélis Alcântara (PSOL), os quatro candidatos ao governo discutiram propostas para saúde, educação, segurança, economia e temas como racionamento de água, royalties do minério, moradia e tributos. Ao final do debate, Pimenta comentou que quis mostrar "que há candidato que não está dizendo com a verdade". Já o petista avaliou que o encontro foi uma oportunidade de apresentar propostas e que o mineiro "saiu melhor informado do que antes".

Delgado citou Fernando Pessoa. "Tudo vale a pena quando a alma não é pequena. Às vezes, alguns candidatos ficam com briguinhas pessoais do que apresentam suas propostas. Mas foi bom". E Fidélis concluiu que conseguiu apresentar suas propostas e que deu para o eleitor perceber a "decadência dos partidos e como eles estão comprometidos com o mercado".

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesMinas Gerais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.