Em MG, poupança para estudantes não atinge meta inicial

Alguns Estados mantêm programas de transferência de renda para públicos específicos e de forma sazonal. Em Minas, um dos focos são os estudantes - por meio do Poupança Jovem. Lançado em 2007 pelo então governador Aécio Neves (PSDB), consiste em depósito anual de R$ 1 mil em uma poupança para alunos que chegam ao ensino médio, com algumas condicionalidades, como boas notas e frequência a atividades extracurriculares. Se cumprir os requisitos por três anos, o jovem recebe R$ 3 mil ao se formar. Em seis anos, beneficiou 20,3 mil jovens, abaixo da meta inicial - 50 mil entre 2007 e 2010.

Marcelo Portela, O Estado de S.Paulo

02 de setembro de 2013 | 02h06

Para o Executivo mineiro, contudo, a meta foi cumprida pelo número de inscritos no projeto, que chegou a 97.745 estudantes em 2012 - ano em que o Poupança Jovem consumiu R$ 50 milhões. Ao todo, desde 2007 foram investidos R$ 382,3 milhões. O Executivo estadual também mantém o Programa Travessia. De acordo com o chefe da Assessoria de Articulação, Parceria e Participação, Ronaldo Pedron, o programa é a "principal estratégia do governo de Minas para o combate à pobreza", direcionado a moradores dos municípios com mais baixo IDH.

Mais conteúdo sobre:
Bolsa Família

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.