EDMAR BARROS/FUTURA PRESS
EDMAR BARROS/FUTURA PRESS

Em Manaus, Marina Silva recebe apoio de prefeito tucano, que critica Alckmin

Ela participou de entrevista com o novo aliado, Arthur Virgílio Neto (PSDB), que anunciou seu voto em Marina e afirmou que o rival tucano na corrida ao Palácio 'não serve para dirigir o País'

Bruno Tadeu / ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2018 | 23h13

Marina Silva, candidata da Rede ao Palácio do Planalto nas eleições 2018,  visitou o estado do Amazonas nesta sexta-feira, 28. Em Manaus, ela participou de uma entrevista coletiva ao lado do novo aliado, o prefeito da capital, Arthur Virgílio Neto (PSDB), defendeu a Zona Franca, criticou a situação da BR-319 e recebeu afagos do tucano, que voltou a criticar o presidenciável do seu partido, Geraldo Alckmin.

“O apoio a Marina Silva foi, de certa forma, um processo complexo, porque ele implica no meu rompimento com a candidatura do Geraldo Alckmin, claramente. Ele não serve para dirigir o país e não reúne condições de liderança para tanto”, disparou Virgílio, que explicou a opção. “Ia votar em quem? Eu não vou votar em nada esquisito. Nada que significa nem o escuso, nem o esquisito. Eu vou votar na melhor candidata. Uma pessoa digna, limpa, que tem uma boa orientação econômica, absolutamente consciente dos seus deveres para a Amazônia”, justificou.

Marina prometeu empenho na manutenção da Zona Franca de Manaus, mas também apontou para novas alternativas econômicas ao Amazonas. “Aqui é um dos estados mais preservados da Amazônia e por isso nós temos aqui um compromisso, de um plano de desenvolvimento sustentável para essa região que seja capaz de combater desigualdades”, afirmou.

Quando ministra do meio ambiente no governo Lula, Marina não autorizou o asfaltamento e recuperação da BR-319, alternativa de fluxo da capital amazonense a outros Estados do Brasil. Questionado sobre alternativas para viabilidade da via, a presidenciável criticou lideranças políticas do Estado.

“Estou fora do ministério há mais de 10 anos. Já tivemos aqui um ministro do transporte, um ministro de minas e energia e não fizeram isso durante esses 11 anos. A resposta é: com certeza ainda não resolveram o problema da viabilidade econômica, social e ambiental”, apontou, referindo-se aos candidatos ao Senado pelo Estado Alfredo Nascimento (PR) e Eduardo Braga (MDB).

Além de selar aliança com Arthur Virgílio, Marina teve agenda em Manaus ao lado do vice Eduardo Jorge na Fundação Oswaldo Cruz, centro de pesquisa em saúde, participou de uma série de entrevistas com a imprensa local e visitou a Associação das Donas de Casa da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.