Em Manaus, Amazonino enfrenta Corrêa no segundo turno

Ex-governador soma 46,21% dos votos válidos; atual prefeito aparece em segundo lugar, com 23%

Redação,

05 de outubro de 2008 | 19h55

Em Manaus, o ex-governador Amazonino Mendes (PTB) vai disputar o segundo turno com o atual prefeito Serafim Corrêa (PSB). Com 100% dos votos apurados, Amazonino liderava com 46,21%, seguido de Corrêa, que contabilizava 23% dos votos. Em terceiro lugar, aparece Omar Aziz (PMN), com 17,56%.  Veja também: Galeria de fotos das eleições no Brasil  Cobertura completa das eleições 2008  Eu prometo: Veja as promessas de campanha dos candidatos Tire suas dúvidas sobre as eleições   Após a confirmação do segundo turno, Serafim afirmou que vai em busca de alianças. Já tem certa a do PT, cujo candidato à Prefeitura, o deputado federal Francisco Praciano, foi o terceiro colocado. Omar, em entrevista após a confirmação da derrota, afirmou que subirá em um palanque em apoio no segundo turno, mas disse não saber ainda em qual. Amazonino considerou a vitória uma das maiores de sua vida política. "Cada vez aumenta mais minha dívida com a população de Manaus", disse. Segundo o candidato, a campanha já começa na segunda-feira, com a busca de alianças e planejamento da propaganda eleitoral. "Agora com tempos iguais", disse. Lula, que apóia oficialmente o candidato petista Francisco Praciano, prometeu que subirá em algum palanque aliado no segundo turno. Desde a semana passada, no horário eleitoral gratuito, é exibido um vídeo de Lula que diz apoiar um candidato "sério e conectado com os projetos nacionais", mas sem citar Praciano. Boca-de-urna Durante o dia, não houve registros de ocorrências na maioria dos municípios do Amazonas. Das 6.827 urnas apenas 25 foram substituídas, sendo 13 em Manaus e 12 no interior. Segundo o presidente do Tribunal Regional Eleitoral, Ari Moutinho, pelo menos 40 pessoas foram detidas fazendo boca-de-urna ou transporte ilegal.  Uma candidata a vereadora pelo PV, Rosa Helena, reclamou que seu nome e número não constavam na urna eletrônica. "Meus eleitores se assustaram e vieram me contar, o que pude constatar quando eu mesma fui votar", disse. A assessoria do TRE foi procurada, mas não soube informar o que teria ocorrido. Interior No interior, três indígenas poderiam ser eleitos em primeiro turno em três municípios. Pedro Garcia, em São Gabriel da Cachoeira, Messias Sateré, em Maués e Saulo Baniwa, em Barreirinha. Segundo a assessoria da Polícia Federal, um homem foi detido em Parintins, a 758 quilômetros de Manaus, por ter entrado na seção eleitoral com um aparelho celular e por ter fotografado o próprio voto, com o intuito de vendê-lo. Tal eleitor foi ouvido pela PF e o celular apreendido - liberado em seguida. Em Manacapuru, ainda segundo a PF, 30 pessoas foram detidas por boca-de-urna, transporte ilegal de eleitor ou venda de bebida alcoólica. Foram apreendidos 700kg de frango que estava sendo distribuído por um candidato a vereador. Amazonino Amazonino Armando Mendes é advogado e empresário. Natural de Eirunepé (AM), ele já foi prefeito de Manaus duas vezes (de 1983 a 1986 e de 1993 a 1994). Depois do segundo mandato como prefeito de Manaus, foi eleito governador do Amazonas (de 1987 a 1990) e, na seqüência, senador (de 1991 a 1992). As informações são da Agência Brasil. Em 95, Mendes voltou ao cargo de governador e após o cumprimento do mandato, foi reeleito para a função, permanecendo no cargo por mais quatro anos (de 1999 a 2002). Em 2004, Mendes também concorreu às eleições pela prefeitura da capital amazonense, mas foi derrotado pelo agora candidato à reeleição - Serafim Corrêa. Já em 2006, tentou ocupar, pela quarta vez, o lugar de governador do Amazonas pelo PFL, mas foi derrotado pelo governador reeleito Eduardo Braga (PMDB), no primeiro turno.  Desta vez, Amazonino Mendes é apoiado pela coligação "Manaus, um futuro melhor" (PTB, PTN, PTC, PHS, PP e PRTB). Ele destacou que pretende levar Manaus à superação de problemas enfrentados nos últimos anos. Ele disse que, ter aceitado fazer parte desta disputa, é um verdadeiro desafio. "Nossa cidade tem enfrentado grandes problemas nos últimos anos. Sei que, com a minha experiência, nós podemos fazer Manaus avançar e crescer", declarou. (com Liege Albuquerque, de O Estado de S. Paulo e Agência Brasil)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.