Em Maceió, Heloísa Helena é a vereadora campeã de votos

A ex-senadora obteve 30 mil votos e ainda conseguiu eleger o companheiro de partido, Ricardo Barbosa

Ricardo Rodrigues, de O Estado de S.Paulo

06 de outubro de 2008 | 13h53

A Câmara Municipal de Maceió  vai sofrer uma renovação de mais de 50% no seu quadro de parlamentares a partir do dia 1º de janeiro, quando tomam posse os vereadores eleitos no último domingo. Dos 21 escolhidos nas urnas, apenas nove vereadores fazem parte da atual legislatura e continuarão na casa. Entre os doze novatos vitoriosos nas urnas, apenas um já passou pela Câmara de Maceió: o ex-deputado estadual Cabo Luiz Pedro (PMN), conseguiu 8.971 votos e foi eleito mesmo preso, atrás das grades, acusado de participação em crime de homicídio, seguido de seqüestro, tortura e ocultação de cadáver. Luiz Pedro nega acusação e diz que vai provar sua inocência na Justiça. Com quase 30 mil, a ex-senadora Heloísa Helena conquistou a maior votação para a Câmara de Maceió.  Além de se eleger, ela ainda elegeu o companheiro de partido Ricardo Barbosa, com 453 votos. Barbosa é advogado e disputou o governo do Estado pelo PSOL, nas eleições de 2006. Como foi a mais votada, a ex-senadora e presidente nacional do PSOL terá a incunbência de dar posse ao prefeito reeleito Cícero Almeida (PP), no primeiro dia de 2009. Assim que tomou conhecimento do resultado das urnas, Heloísa dedicou sua vitória a Deus a ao povo de Maceió. Em entrevista à imprensa, ela lembrou das dificuldades que enfrentou durante a campanha, com uma equipe reduzida, sem muitos recursos, mas com "muita garra e amor no coração".  Ataques e agressões   A ex-senadora só lamentou os ataques e as acusações que sofreu dos adversários, durante a campanha. Segundo Heloísa, chegaram a divulgar que sua candidatura seria cassada, por causa de um processo que ela responde na Justiça Federal, por problemas com o imposto de renda, na época que foi deputada estadual em Alagoas.  "Esta foi a mais suja e sórdida campanha de que participei. Fui desqualificada e agredida com palavras chulas. Mas foi também a melhor e todas as campanhas, porque a minha história de vida e a minha luta contra os poderosos conquistaram essa vitória tão preciosa", afirmou Heloísa, acrescentando que seu desejo é cumprir o mandato, com independência e coragem para denunciar as mazelas do serviço público.  No entanto, a ex-senadora coloca nas mãos do povo a decisão se deve ou não cumprir os quatro anos de mandato. "Essa é uma discussão que não depende diretamente da gente, vai depender do momento político e dos desafios que teremos pela frente", afirmou Heloísa, deixando uma porta aberta para um possível candidatura sua em 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.