Em João Pessoa, Dilma cita Bolsa Família para reforçar comparação entre 'nós' e 'eles'

Em João Pessoa, Dilma cita Bolsa Família para reforçar comparação entre 'nós' e 'eles'

Apoio à petista na Paraíba uniu antigos adversários políticos, como senador Vital do Rêgo (PMDB) e o senador eleito José Maranhão

Valmar Hupsel Filho, Enviado especial/O Estado de S. Paulo

08 de outubro de 2014 | 22h13

João Pessoa - Candidata à reeleição, a presidente Dilma Rousseff (PT) seguiu nesta quarta-feira, 8, a cartilha determinada pelo marqueteiro João Santana em reunião no início da semana e, no discurso feito em João Pessoa, na Paraíba, comparou os governos petistas e tucano para reforçar o pedido de votos, no segundo turno, à região que lhe deu votação mais consistente no primeiro. Como exemplo, citou índices de desemprego, inflação, juros e programas sociais, como o Bolsa Família. 

"Quando o outro projeto dirigiu o nosso País (os eleitores) eram muito jovens. Por isso a gente tem de lembrar o que aconteceu", disse ela, repetindo a frase que já foi dita diversas vezes pelo seu padrinho político, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para reforçar a comparação entre "nós" e "eles". 


Ao falar sobre economia, Dilma disse que "nossa inflação é metade da deles" e, "quando eles dirigiram o país, o salário era pequenininho e o desemprego era alto, e os juros na estratosfera". "Eles quebraram o país três vezes e se ajoelharam diante do FMI durante a crise de 2008 porque não tinham dinheiro para pagar. Hoje somos credores líquidos", completou.

Em entrevista a jornalistas, logo após desembarcar na cidade, vinda de Teresina, Dilma disse estava circulando o Nordeste para "agradecer a votação expressiva que tive na região". Em João Pessoa, a candidata à reeleição foi em busca do voto dado a Marina Silva (PSB), que teve cerca de 393 mil votos no Estado, e firmou acordo de apoio mútuo com o governador Ricardo Coutinho (PSB). 

O apoio a Dilma na Paraíba uniu antigos adversários políticos, como senador Vital do Rêgo (PMDB) e o senador eleito José Maranhão, além dos petistas Luciano Cartaxo, prefeito de João Pessoa, e Lucélio Cartaxo, segundo colocado na disputa pelo Senado no Estado. 

Dilma afirmou ser "legítima da democracia" a posição do PSB nacional, que declarou apoio no segundo turno ao candidato do PSDB, Aécio Neves. "Agora, como eles liberaram seus governadores, é isso que explica que o Ricardo Coutinho me apoia", disse ela, afirmando que pretende falar com todos os eleitores dos demais partidos. "Os que fecharem comigo no primeiro momento e os que não fecharam", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.