Em eleição que teve até polícia, Aécio vence na Suíça

Tucano recebeu 1.429 votos em Genebra, contra 604 votos

Jamil Chade, correspondente, O Estado de S. Paulo

26 de outubro de 2014 | 15h17

GENEBRA - Se dependesse dos brasileiros que votam na Suíça, Aécio Neves seria o novo presidente brasileiro. Em Genebra, o candidato do PSDB venceu o segundo turno com 70,3% dos votos, num dia que até a polícia de Genebra teve de ser chamada para acalmar os ânimos. Os resultados acabam de ser divulgados e apontam que a atual presidente, Dilma Rouseff, somou 604 votos, contra 1.429 para Aécio.

Perto do meio dia, um grupo tentou colar bandeiras e faixas da candidata Dilma Rousseff no local de voto. O alerta de que não poderiam fazer a manifestação gerou um bate-boca entre simpatizantes dos dois candidatos.

A polícia local acabou sendo chamada para levar os mais exaltados para fora do recinto. Ninguém foi preso.

No primeiro turno em Genebra, Aécio somou 683 votos, contra 568 votos para Marina Silva. Dilma ficou apenas na terceira colocação, com 403 votos.

As eleições ocorreram com um número de eleitores que surpreendeu. O consulado brasileiro foi obrigado a alugar uma ala do salão de exposições da cidade para poder organizar a votação. Se em 2010 o número de eleitores brasileiros em Genebra não passava de 2 mil, desta vez o número de inscritos chegou a 6 mil pessoas.

No total, cerca de 2 mil eleitores compareceram às urnas, que já foram fechadas. Em toda a Europa, uma campanha dos consulados para transferência de título de eleitor e a regularização da situação de milhares de pessoas vez os números de pessoas aptas a votar soltar de forma inédita. Na Espanha, por exemplo, o aumento foi de 100%. Em Londres, a taxa chegou a 140% de incremento em relação a 2010.

Contabilizando todos os eleitores no exterior no primeiro turno, Aécio ficou com 49,51% dos 132 mil votos registrados,  contra 26% para Marina Silva.

Se dependesse dos brasileiros no exterior, Dilma sequer teria passado ao segundo turno, somando 18,3% dos votos.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesSuíça

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.