Em discurso, presidente anuncia quase R$ 67 bi para municípios

Dilma afirma a prefeitos que País vive momento de consolidação de novo patamar das relações federativas

JOÃO DOMINGOS / BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2013 | 02h07

A presidente Dilma Rousseff anunciou ontem num encontro com cerca de 5 mil novos prefeitos a liberação de R$ 66,8 bilhões para auxiliar os municípios a construir creches, escolas, reformar postos de saúde, levantar novas unidades de pronto atendimento e fazer obras de saneamento e de pavimentação, entre outros investimentos com dinheiro federal.

"Estamos em momento de construir nova agenda para as cidades e mostrar resultados", disse a presidente, logo no início do discurso aos prefeitos. Ela afirmou aos chefes de executivos municipais que eles encontrarão no governo federal um "parceiro comprometido com o diálogo". A presidente também afirmou que o Brasil vive um momento de consolidação de um novo patamar das relações federativas. "Queremos que prefeitos tenham acesso aos recursos da união e aos financiamentos."

O encontro com prefeitos ocorre num momento em que aliados e dirigentes do PT passaram a falar publicamente sobre a campanha à reeleição de Dilma - as afirmações correram, principalemente, para afastar os rumores de que seu antecessor e padrinho político, Luiz Inácio Lula da Silva, seria o candidato petista na disputa ao Planalto em 2014.

Entre este ano e em 2014, o programa Minha Casa, Minha Vida vai propiciar a construção de mais 1,1 milhão de moradias, disse a presidente. Ela lembrou que já foram entregues chaves da casa própria para um milhão de famílias até o mês de janeiro deste ano e já foi contratada a construção de mais de 1,3 milhão de unidades residenciais. "A boa notícia é que temos é que todas as prefeituras podem participar desse novo desafio."

Segundo a presidente, serão R$ 3,6 bilhões para a construção dessas moradias. Ela explicou ainda que, do total, primeiramente o governo está abrindo uma nova seleção pública para município com menos de 50 mil habitantes. Essas cidades poderão concorrer a mais de 135 mil moradias. Assim que estiverem concluídas, poderão ser apresentados projetos para a construção de outras.

Para os municípios com mais de 50 mil habitantes, disse Dilma, ainda tem 800 mil moradias para a faixa de renda acima de R$ 1.600 e, caso as prefeituras queiram oferecer terreno com infraestrutura para que os empreendimentos sejam implantados, ajudará muito para o avanço do programa nos municípios pequenos, médios e grandes.

Dilma destacou ainda que o governo está abrindo dois processos de seleção em educação, para creches e quadras. "Os novos prefeitos vão poder manifestar e receber os recursos", disse. "Nós sabemos que creche é questão fundamental para que Brasil se desenvolva. Beneficia a criança, não só porque mãe precisa de lugar seguro para deixar criança, mas porque beneficia criança para que seja alfabetizada na hora certa."

No segundo processo seletivo, segundo a presidente, será assegurada a construção e cobertura de 2.927 quadras em escolas públicas. Essas escolas poderão se qualificar, desde que tenham 100 ou mais alunos. Dilma anunciou ainda que, na área de saúde, o governo está abrindo seleção para ampliar 5.629 unidades de saúde e para construir 1.253 unidades básicas de saúde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.