Amanda Perobelli/Estadão
Amanda Perobelli/Estadão

Em Cuba, Gleisi defende liberdade de Lula e candidatura à Presidência

Senadora e presidente nacional do PT afirmou que partido vai continuar trabalhando pela soltura do ex-presidente, condenado e preso pela Operação Lava Jato

Circe Bonatelli, O Estado de S.Paulo

15 de julho de 2018 | 15h24

SÃO PAULO - A senadora e presidente do PT, Gleisi Hofmann, afirmou que não desistirá de buscar a liberdade do ex-presidente  Luiz Inácio Lula da Silva, que completa hoje 100 dias preso na sede da Polícia Federal, em Curitiba (PR), condenado e preso na Operação Lava Jato.

+++ Militância petista segue à risca estratégia do partido nas eleições 2018

+++ TV: Militantes do PT falam sobre Lula, Palocci, Dirceu e dizem que partido não errou

Gleisi está em Havana, Cuba, junto com a ex-presidente Dilma Rousseff e militantes, onde participam do Foro de São Paulo, movimento que reúne partidos da esquerda de diversos países. "Viemos aqui para denunciar, e estamos recebendo a solidariedade para Lula. Não vamos desistir. Lula voltará a ser presidente do Brasil", afirmou Gleisi, em vídeo divulgado nas redes sociais.

A senadora ainda voltou a criticar a atuação do Judiciário e a prisão de Lula que, conforme sustentam os advogados do PT, ocorreu sem provas concretas. "A tentativa de soltá-lo com uma argumentação justa e correta ficou frustrada. Parte expressiva do Judiciário mostrou que tem lado nessa disputa e politizou o tema. Não vamos desistir de Lula, pois não vamos desistir do povo brasileiro", completou, referindo-se à suspensão do habeas corpus conferido, semana passada, pelo plantonista do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF), desembargador Rogério Favreto.

+++ Julio Delgado lamenta que PSB esteja como 'biruta' de aeroporto

Lula foi condenado a 12 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá. No centésimo dia da prisão, os administradores do seu perfil oficial no Twitter reafirmaram que em 15 de agosto será registrada sua candidatura à Presidência da República. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.