Amanda Perobelli / Reuters
Amanda Perobelli / Reuters

Em conversa com Moro, presidente do PSDB defende reduzir número de candidaturas de centro

Ex-juiz se filia ao Podemos semana que vem e tem se reunido com representantes de várias siglas para discutir eleições de 2022

Marcelo de Moraes, O Estado de S.Paulo

05 de novembro de 2021 | 14h20

BRASÍLIA - Na rodada de conversas que tem feito desde que decidiu se filiar ao Podemos para, possivelmente, concorrer ao Planalto, Sérgio Moro se encontrou nesta quinta-feira, 4, com o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo. Moro e a presidente do Podemos, deputada Renata Abreu (SP), foram levar o convite para a solenidade de filiação do ex-ministro da Justiça e conversaram sobre o cenário político nacional. Houve um consenso em torno da importância de se evitar muitas divisões nas candidaturas presidenciais com perfil de centro.

“Conversamos sobre o cenário geral e, de modo especial, a necessidade de fragmentação mínima entre as candidaturas de centro”, declarou Araújo.

As chamadas candidaturas de terceira via já contabilizam pelo menos 11 presidenciáveis e existe o temor dentro desse grupo de que essa fragmentação impeça o rompimento da polarização indicada pelas pesquisas, até o momento, entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente Jair Bolsonaro.

“O Podemos é um dos partidos que tem mantido um diálogo constante entre os que têm buscado outra alternativa aos extremos que polarizam o País”, disse o tucano.

A preocupação com essa busca por unidade na terceira via aumentou depois que a votação da PEC dos precatórios mostrou que os presidenciáveis do grupo têm pouco ou nenhum controle sobre o voto de suas bancadas no Congresso. Embora dirigentes e pré-candidatos tenham se manifestado contrariamente ao texto, deputados dos partidos que fazem oposição a Bolsonaro acabaram votando numa proposta que é vista como estratégica eleitoralmente para a reeleição do presidente, já que dribla o teto de gastos para pagar o Auxílio Brasil. A reação a esse comportamento foi tão grande que Ciro Gomes chegou a anunciar que sua pré-candidatura estava suspensa por causa dos votos dados pelo PDT a PEC.

A conversa de Moro com Bruno Araújo ajuda a manter os laços de proximidade com o PSDB, especialmente com o governador de São Paulo, João Doria. Araújo disse que não vai poder comparecer à filiação porque estará viajando, mas enviará um representante oficial do PSDB. E Doria já confirmou que vai comparecer ao encontro.

Moro passou quarta e quinta-feira em Brasília mantendo uma série de conversas com representantes de forças que poderão estar ao seu lado em 2022 ou recebendo seu apoio, caso recue da participação da disputa presidencial. Além do tucano, Moro se encontrou com o presidente nacional do Novo, Eduardo Ribeiro, que também foi convidado para a filiação, assim como Luiz Felipe d’Ávila, pré-candidato do partido ao Planalto.

Moro também se reuniu com o senador Alessandro Vieira, pré-candidato do Cidadania e com o líder do partido na Câmara, deputado Alex Manente (SP). “Estive hoje com Sérgio Moro para discutir a pauta que mais nos une em prol do Brasil: a prisão após condenação em segunda instância. Moro se colocou preparado e animado para nos ajudar a mobilizar forças e energia para votar esse importante projeto para o Brasil”, disse o deputado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.