Em caminhada, Kassab prega unidade do PSDB-DEM no 2º turno

Prefeito fez campanha ao lado de José Jorge, que concorreu na chapa de Geraldo Alckmin como vice em 2006

Anne Warth, da Agência Estado

29 de setembro de 2008 | 13h47

O atual prefeito e candidato à reeleição,  Gilberto Kassab(DEM), fez nesta segunda-feira, 29, uma caminhada na região do Bom Retiro ao lado do ex-senador José Jorge, que concorreu na chapa encabeçada por  Geraldo Alckmin (PSDB) nas eleições de 2006 como vice-presidente. Após cumprimentar comerciantes e pessoas que passavam pela região, ele ressaltou que Jorge é uma pessoa muito querida pelo PSDB. "O senador foi candidato a vice e representou o partido nas últimas eleições presidenciais. É uma pessoa muito querida pelo PSDB, que traz sorte. Ele é pé quente", afirmou Kassab.  Veja também:Enquete: Quem ganha com a briga dos dois?  Perfil dos candidatos de SP  Especial: A conturbada aliança entre PSDB e DEM Contra Marta, PSDB admite apoiar Kassab no 2º turno    Alckmin e Kassab polarizam debate por 2º turno com Marta Blog: Leia os principais pontos do debate na Rede Record  Galeria de fotos dos candidatos no debate  Ibope: Confira os números da pesquisa  Análise: Marqueteiro aponta polarização na reta final da disputa em São Paulo   O candidato afirmou que espera ser evidente que tucanos e democratas estarão juntos no segundo turno das eleições. "Quero cumprimentar todos os dirigentes do PSDB e do DEM que têm essa linha de raciocínio. É evidente que vamos estar no segundo turno trabalhando juntos. Temos um adversário em comum, que é o PT", declarou, em linha com a orientação do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e de outros dirigentes tucanos que consideram que a derrota de Marta Suplicy (PT) seria uma vitória para o PSDB, mesmo que Alckmin não vá para o segundo turno. Kassab disse estar confiante após os resultados das últimas pesquisas de intenção de voto, que o colocam em segundo lugar, à frente de Alckmin, mas evitou tripudiar sobre o candidato tucano. "Seria uma pretensão muito grande eu afirmar aqui que já estamos no segundo turno. As eleições não acabaram, ainda temos o segundo turno, a campanha não acabou. Seria até um desrespeito com o eleitor", declarou. Após ter revelado no debate de  na Record que foi procurado por Alckmin para fechar um acordo em que o tucano teria oferecido uma secretaria ou o apoio nas eleições para o governo do Estado em 2010, caso desistisse de disputar a reeleição, Kassab desconversou. Questionado por jornalistas sobre essa tentativa de acordo, ele limitou-se a dizer que o eleitor não está interessado nesse tipo de assunto, mas sim nas propostas de cada candidato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.