Em BH, PT já fala em Patrus contra Lacerda

Cúpulas petista e do PSB se mobilizaram ontem para recompor o acordo, mas ex-ministro de Lula pode entrar na disputa

MARCELO PORTELA , BELO HORIZONTE, O Estado de S.Paulo

02 de julho de 2012 | 03h03

A decisão do diretório municipal do PT de deixar a aliança pela reeleição do prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), mobilizou ontem as direções das duas legendas, que ainda tentam recompor o acordo. Algumas lideranças petistas, porém, já não acreditam que o PSB possa rever a sua posição - contrária a uma coligação proporcional na capital mineira. Assim, já articulam para lançar o ex-ministro Patrus Ananias como candidato. Marcio Lacerda tem o apoio do PSDB, de Aécio Neves, e de diversos partidos da base do governo federal. No sábado à noite, o PT-BH lançou o vice-prefeito Roberto Carvalho, desafeto de Lacerda, como candidato à prefeitura.

Os contatos entre petistas e PSB começaram ainda no sábado, assim que a decisão do diretório municipal do PT foi anunciada. Desde então, o ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, vem conversando com os presidentes nacionais do PT, Rui Falcão, e do PSB, governador Eduardo Campos (PE), para tentar reverter o cenário.

Ontem, o secretário-geral do PSB, Carlos Siqueira, desembarcou em Belo Horizonte para se encontrar com o prefeito e o com presidente do PSB mineiro, o ex-ministro Walfrido dos Mares Guia. Em seguida, falariam com a direção do PT mineiro. O Estado tentou falar com líderes do PSDB, mas nenhum deles atendeu ao telefone. "Se a avaliação do Marcio (Lacerda) for diferente, reorganizamos e fazemos a aliança", afirmou um dos interlocutores de Pimentel e integrante do diretório petista em Minas.

Revolta. A direção do PT não esconde que está revoltada com a postura do prefeito. Nos bastidores, a informação é de que Lacerda teria sido "enquadrado" pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG) para não fazer a aliança proporcional com os petistas - decisão que foi comemorada com entusiasmo durante a convenção tucana na capital, realizada simultaneamente à do PT, no sábado.

Tucanos. O PSDB já conta com a possibilidade de indicar o candidato a vice de Lacerda. Aécio foi, junto com Pimentel, o principal articulador da candidatura do prefeito em 2008, assim como da tentativa de reedição da aliança.

"O Aécio quer derrotar o PT e agora tem que assumir o ônus. Porque a decisão do Lacerda foi contra o PT de Belo Horizonte. Mas ele está disposto a romper com o PT nacional, com o Lula e com a Dilma?", indagou um dos petistas que participam das negociações. Segundo esse dirigente, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma também já se inteiraram do imbróglio criado na eleição de Belo Horizonte e estariam ajudando a encontrar uma saída - o que incluiria contatos com Patrus para viabilizar sua candidatura. Isso demandaria uma espécie de intervenção branca no diretório municipal.

"As decisões que tinham que ter sido tomadas já o foram. Não acredito em nenhum tipo de intervenção e o Patrus afirmou que está inteiramente à disposição da minha campanha", afirmou Roberto Carvalho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.