CIETE SILVERIO
CIETE SILVERIO

Em agenda no Sul, Alckmin diz que tom da campanha terá foco na retomada da economia

'Toda vez que o Brasil fez um esforço conciliatório, o país avançou', destacou o candidato

Amanda Ludwig, especial para O Estado , O Estado de S.Paulo

08 Setembro 2018 | 13h33

CRICIÚMA - O candidato à Presidência da República Geraldo Alckmin (PSDB) cumpriu agenda de campanha em Criciúma (Santa Catarina) neste sábado, 8. Em um encontro na Praça Nereu Ramos, área central da cidade, o tucano destacou que a partir de agora todo o foco de sua campanha nas eleições 2018 passa a ser a retomada da economia do País. A mudança acontece após o atentado contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL) na quinta-feira, 6, durante ato em Juiz de Fora (MG).

Alckmin também ressaltou a necessidade de pacificação e esforço conciliatório por parte de seus concorrentes. "Toda vez que o Brasil fez um esforço conciliatório, o País avançou. Foi assim na redemocratização, na constituinte e no Plano Real. Quando houve este esforço, a democracia avançou", disse.

Ele aproveitou o momento para elencar algumas de suas propostas. "Vamos abordar educação; saúde, que é meu dever melhorar como médico; infraestrutura e, no âmago de tudo isso, a geração de empregos. Se o Brasil não voltar a crescer, teremos uma crise fiscal e, consequentemente, faltará dinheiro para estas áreas"afirmou o candidato.

Reformas imediatas

O tucano também defendeu a necessidade de realização rápida de algumas reformas no Brasil: política, tributária, previdenciária e de Estado, dizendo que todas elas devem ser feitas ainda durante o primeiro semestre de seu eventual governo.

"A reforma política trará menos partidos, voto distrital misto e facultativo; a tributária simplificará o modelo tributário brasileiro, ou seja, cinco impostos virarão um; a da Previdência contará com um Regime Geral da Previdência; e a de Estado trará um esforço para fazer o governo caber no PIB do Brasil", explicou.

Segundo Alckmin, o setor de turismo também receberá atenção em seu eventual governo. O candidato calcula que a cada cinco empregos, um é ligado direta ou indiretamente ao turismo, destacando vantagens brasileiras como a extensão territorial e diversidade de destinos.

"Precisamos promover o turismo, vender a marca Brasil, melhorar a infraestrutura e trazer investimentos para esta área. O brasileiro gasta mais dinheiro no exterior do que o estrangeiro aqui. Para isso, é necessária uma segurança pública relevante. Com turismo desenvolvido, teremos emprego rápido", disse Alckmin.

Durante o ato de campanha, Alckmin afirmou que planeja firmar uma parceria com Santa Catarina na área da infraestrutura. De acordo com ele, o Estado possui um potencial a ser explorado em áreas como tecnologia, inovação e parques industriais, além do turismo. "Há múltiplas atividades econômicas aqui, mas é necessária uma infraestrutura melhor entre rodovias, BR's e ferrovias integrando os vários modais", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.