Em 2013, Corte pagou R$ 451 mi

Em 2013, o TJ paulista pagou R$ 451,6 milhões líquidos a seus magistrados, dos quais R$ 213,3 milhões relativos a "vantagens eventuais" - abono constitucional de um terço de férias, indenização e antecipação de férias e outros. O TJ esclareceu que "os subsídios dos magistrados vêm sendo pagos rigorosamente de acordo com orientação do CNJ, observados o decidido e praticado pelo STF e tribunais superiores". Segundo o TJ, "os atrasados indiscutivelmente devidos a servidores e magistrados ficaram represados durante anos e, dentro das possibilidades, vêm sendo quitados". "O tribunal não paga um centavo além do estrito direito dos servidores e magistrados", assinala a Corte, com mais de 3 mil juízes, ativos e aposentados.

O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2013 | 02h11

Em julho, o presidente Ivan Sartori admitiu que é candidato outra vez. "A reeleição (...) faz parte do projeto da Presidência para o desenvolvimento dos muitos projetos já iniciados", avisou, por sua assessoria. Mas ponderou que a reeleição "dependerá de decisão do Órgão Especial". Em maio, ele advertiu que nunca faria proposta para alterar as regras das eleições. "Prestigio a ética e o interesse público."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.