Eleitores se dividem entre Mendes e Lúdio

Candidato do PSB e do PT chegam ao dia da eleição com chances de vitória, segundo pesquisas, e trocando acusações

FÁTIMA LESSA, ESPECIAL PARA O ESTADO / CUIABÁ, O Estado de S.Paulo

28 de outubro de 2012 | 03h07

A disputa pela prefeitura de Cuiabá (MT) terminou com troca de acusações de compra de votos entre os dois candidatos - Mauro Mendes (PSB) e Lúdio Cabral (PT) - e sem um claro favorito nas pesquisas. Em caso de vitória do PT em Cuiabá, quem ganha é o próprio governo federal. Já uma vitória do candidato do PSB fortalece o partido que começa "ameaçar" uma provável candidatura da presidente Dilma Rousseff, em 2014.

Por causa do alinhamento político apregoado pelo candidato petista, Cuiabá presenciou um verdadeiro desfile de ministros e outras estrelas nacionais. Numa mesma semana foram à cidade mato-grossense os ministros dos Esportes, Aldo Rebelo, e do Planejamento, Miriam Belchior, além do secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho - todos pedindo votos para Cabral. Outros pediram votos no programa: o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, da Educação, Aloizio Mercadante, e da Casa Civil, Gleisi Hoffmann.

A própria presidente Dilma Rousseff gravou participação no programa afirmando que em Cuiabá seu candidato é o Lúdio. Depois da passagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Cuiabá, na quarta-feira à noite, o programa do petista basicamente só repetiu o discurso de Lula. Nele, o ex-presidente declara que "não existe nada melhor para Cuiabá do que o alinhamento". "Não será mais fácil, mas com certeza o dinheiro será investido em programas de que a cidade realmente precisa."

O candidato do PSB, por sua vez, tentou "apagar" a estratégia do adversário. Os senadores Blairo Maggi (PR) e Pedro Taques (PDT) insistiram nas inserções da candidatura do PSB que seus partidos são da base aliada da presidente Dilma e têm certeza de que Mauro terá todo apoio dela para governar.

O candidato Mauro Mendes também recebeu apoio do deputado federal pelo Rio de Janeiro, Romário. Na segunda-feira visitou Cuiabá o governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, que teria intenção de disputar a sucessão de Dilma daqui a dois anos.

Embora pesquisa do Ibope divulgada no dia 19 indicasse Mauro com 48% das intenções de votos e Lúdio com 43%, a disputa ficou equilibrada na quinta-feira, quando outra pesquisa, do jornal Gazeta, mostrou um empate técnico entre os dois candidatos - Cabral com 46% e Mendes com 44%.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2012

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.