Eleitor pode entrar acompanhado na cabine, diz TRE-SP

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) informou hoje que não há ilegalidade no fato de um eleitor entrar acompanhado na cabine de votação. Pela manhã, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva votou junto com o neto Thiago, que digitou os números na urna eletrônica no lugar do avô. Já o prefeito Gilberto Kassab (DEM), candidato à reeleição, votou acompanhado de uma sobrinha, que registrou o número do tio na urna eletrônica."O presidente da Mesa é a autoridade que pode determinar se o eleitor pode entrar acompanhado na cabine", afirmou o presidente do TRE-SP, desembargador Marco César Müller Valente. "No caso dos políticos, há uma tolerância maior porque é um caso excepcional. De fato, não há ilegalidade."Lula votou por volta das 10h20 na Escola Estadual Dr. João Firmino Correia de Araújo, em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, acompanhado do neto, da primeira-dama Marisa Letícia, do candidato a prefeito Luiz Marinho (PT), e do vice na chapa, Frank Aguiar (PTB).Kassab votou no Colégio Santa Cruz, Alto de Pinheiros, às 10h30. Ele entrou na cabine levando sua sobrinha Vivian, de 6 anos, que registrou o número 25 e viu o nome do tio aparecer na urna, cercada de câmeras e repórteres.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.