'Eleitor está de saco cheio de mentiras', diz Lula

Ex-presidente vai a Jundiaí apoiar aliado do PC do B contra candidato do governador Geraldo Alckmin e cita investida contra Haddad em São Paulo

RICARDO BRANDT / CAMPINAS, O Estado de S.Paulo

23 de outubro de 2012 | 03h05

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ontem que "o eleitor está de saco cheio de mentiras" e que vantagem em pesquisa não garante eleição. Lula voltou a atacar o PSDB e citou os ataques ao candidato Fernando Haddad (PT), em São Paulo, durante comício em Jundiaí, no interior paulista, para o candidato a prefeito da cidade Pedro Bigardi (PC do B), aliado do PT.

"Vim aqui para alertar vocês, a gente não pode achar que uma vantagem em pesquisa garante a eleição", disse. "Nós sabemos que essa gente que está disputando contra o Pedro, vocês viram o que fizeram comigo em 2006, vocês viram o que fizeram com a Dilma em 2010 e agora estão fazendo com o companheiro Pedro. É uma central de mentiras todo santo dia. É uma central de boatos."

O PT, aliado do PC do B, enfrenta o candidato do PSDB, Luiz Fernando Machado, que representa uma hegemonia de mais de 20 anos do partido na cidade e tem apoio direto do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Lula incluiu Jundiaí na agenda de visitas depois de Bigardi quase vencer a disputa no 1.º turno.

Bigardi surpreendeu nas urnas ao levar a disputa para o 2.º turno pela primeira vez na história da cidade. Faltaram 48 votos para que ele vencesse no 1.º turno.

"Vocês estão vendo a campanha que estão fazendo contra o Haddad. É por isso que o Haddad vai ganhar também. Porque o povo brasileiro e o povo de Jundiaí estão com o saco cheio de mentiras, com o saco cheio de candidato que não tem o que falar e começa a falar mal do outro", disse o ex-presidente, ainda em seu discurso em Jundiaí.

Adversário de Haddad, José Serra (PSDB) tem centrado ataques em duas frentes: a primeira é o mensalão, que tem a antiga cúpula petista como alvo; a segunda é dizer que Haddad acabará com as parcerias com o setor privado na área de saúde (mais informações na pág. A12).

"Vocês sabem que tucano tem aquele bico bonito, mas é predador. Quem conhece de aves sabe que tucano, ele come passarinho novo no ninho, ele come ovinho. O bicho é que nem tico-tico, meu filho... Que nem pássaro preto, o chupim que tira os ovos do outro e bota o dele. Por isso é preciso ter cuidado", afirmou Lula, repetindo um discurso que vem fazendo em todas as cidades onde o adversário de seu aliado é do PSDB.

Sarkozy. Depois do evento no interior, Lula recebeu num hotel de luxo em São Paulo o ex-presoidente da França Nicolas Sarkozy. Sarkozy já havia se encontrado, de manhã, com a presidente Dilma Rousseff, em Brasília. Ele esteve em São Paulo para participar de uma conferência sobre a crise financeira internacional em fórum organizado pelo banco BTG Pactual, da qual participaram cerca de 200 empresários.

Em nota, a assessoria de Lula informou que o encontro durou uma hora e 15 minutos, período no qual os dois ex-presidentes conversaram sobre o cenário político na Europa e na América Latina, e ainda sobre as eleições americanas. O francês quis saber sobre o estado de saúde do colega brasileiro. Foi a primeira vez em que os dois se encontram após o diagnóstico e tratamento do câncer na laringe feito por Lula. / COLABOROU JOSÉ MARIA TOMAZELA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.