Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Eduardo Paes mantém 24% em pesquisa; Romário e Garotinho têm 16%

Índio da Costa subiu pra 6%, seguido por Tarcísio Motta, com 4%, e Wilson Witzel, com 2%

Mateus Fagundes, O Estado de S.Paulo

03 Outubro 2018 | 01h27

O ex-prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes (DEM) segue na liderança na disputa do governo do Rio de Janeiro, com 24% das intenções de voto, de acordo com pesquisa Ibope divulgada na noite desta terça-feira, 2. O ex-governador Anthony Garotinho (PRP) cresceu quatro pontos porcentuais para 16%. Esse é o mesmo índice do senador Romário Faria (Podemos), que oscilou negativamente dois pontos porcentuais. 

O deputado federal Índio da Costa (PSD) oscilou de 4% para 6%. Tarcísio Motta (PSOL) manteve os 4% da pesquisa anterior, o mesmo índice de Wilson Witzel (PSC), que tinha 2% no levantamento passado. A candidata do PT, Marcia Tiburi, oscilou de 2% para 3%. Pedro Fernandes (PDT) tem 2% e Marcelo Trindade (Novo) passou de 1% para 2%. Com 1% nos dois levantamentos aparecem André Monteiro (PRTB) e Dayse Oliveira (PSTU). Luiz Eugenio (PCO) saiu de 1% para 0%.

Votos brancos e nulos oscilaram de 20% para 17%, enquanto o índice de não sabem/não responderam foi de 8% para 5%. Considerando-se a margem de erro de três pontos porcentuais, Paes e Romário aparecem tecnicamente empatados na simulação de segundo turno. O candidato do DEM tem 38% e o senador, 33%. Brancos e nulos são 26% e não souberam/não opinaram, 3%.

Se o concorrente do segundo turno fosse Garotinho, o ex-prefeito venceria a disputa por 44% a 22%. Brancos e nulos são 30% e não souberam/não opinaram, 3%. O ex-governador também perderia de Romário, por 39% a 26%. Nesta simulação, brancos e nulos são 32% e não souberam/não opinaram, 3%.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo Editora Globo, que edita o jornal O Globo. Foram ouvidos 1.512 eleitores de 41 municípios do Estado entre 22 e 24 de setembro. O registro no TRE é o RJ-08813/2018 e no TSE é o BR-06646/2018. O nível de confiança utilizado é de 95%. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.