Economista prevê 'efeito dúbio' para o enxugamento

A se confirmar o agravamento na crise econômica europeia esperado para este ano, o contingenciamento de R$ 750 milhões no orçamento do Estado pode ter um efeito dúbio na economia local, acredita o professor de Economia da USP Adriano Biava. Ao mesmo tempo em que ajuda no controle da dívida do governo, a redução no consumo do setor público, em sua avaliação, pode diminuir a demanda e acelerar o processo de esfriamento da economia.

O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2012 | 03h08

"O que este congelamento revela é que o governo está com um problema de caixa", explica Biava, em referência à esperada queda na arrecadação de impostos, ocorrida em consequência da crise externa.

Ele diz ser "possível", por outros caminhos, chegar ao contingenciamento desejado pelo Palácio dos Bandeirantes sem afetar os investimentos. "Deve haver um corte em publicidade, gastos com combustível e viagens. Espera-se que não atinjam remédios para hospitais e material escolar", opina. / LUCAS DE ABREU MAIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.