'É mentira', diz Lula; PT acusa Valério de tentar 'desesperadamente' reduzir pena

Ex-presidente evita perguntas sobre novo depoimento e é defendido pelo partido, que vê 'processo de criminalização' contra a legenda

ANDREI NETTO E DAIENE CARDOSO, O Estado de S.Paulo

12 de dezembro de 2012 | 02h05

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem ser "mentira" as denúncias feitas pelo empresário Marcos Valério Fernandes de Souza à Procuradoria-Geral da República em setembro e reveladas ontem pelo Estado. Em nota, a Direção Nacional do PT afirmou que as novas declarações se referem a uma tentativa de "delação premiada" e refletem o "desespero" de Valério para reduzir sua pena. Apontado como o operador do esquema, o empresário foi condenado a mais de 40 anos de prisão pelo Supremo Tribunal Federal.

No depoimento de mais de três horas ao Ministério Público Federal, Valério disse que o esquema do mensalão ajudou Lula a pagar "despesas pessoais" e que o ex-presidente teria dado aval para os empréstimos bancários que viriam a irrigar os pagamentos de parlamentares que pertenciam à base aliada.

"Isso é mentira", afirmou Lula após ser questionado por jornalistas na saída do Fórum do Progresso Social, organizado por seu instituto e a Fondation Jean-Jaurè, em Paris. "Não posso responder a mentiras."

Com a declaração, o ex-presidente quebrou o silêncio que perdurou quase todo o dia. À noite, Lula cancelou a sua participação em um jantar oferecido pelo presidente da França, François Hollande, à presidente Dilma Rousseff no Palácio do Eliseu, sede do governo francês. Ele era um dos convidados de honra do evento.

Lula deve manter o resto da agenda prevista na Europa. Amanhã, o ex-presidente receberá um cheque de 80 mil (cerca de R$ 215 mil) do governo da Catalunha, como parte do prêmio que ganhou por conta de sua política social e "crescimento justo". A Espanha, no entanto, é um dos países mais afetados pela crise financeira. A informação sobre o valor da premiação foi divulgada em comunicado oficial do governo, anunciando o evento que marca a entrega do Prêmio Internacional Catalunha. O prêmio é destinado a pessoas que tenham contribuído com o desenvolvimento de valores culturais, científicos ou humanos.

'Mentiras envelhecidas'. A nota da direção do PT, assinada pelo presidente da sigla, deputado estadual Rui Falcão, criticou ainda o espaço dado pela imprensa às declarações de Marcos Valério. "Trata-se de uma sucessão de mentiras envelhecidas, todas elas já claramente desmentidas. É lamentável que denúncias sem nenhuma base na realidade sejam tratadas com seriedade", diz um dos trechos do documento.

Segundo o texto da nota, há um "processo de criminalização" contra o PT e seus dirigentes. "Prestes a completar 10 anos à frente do Governo Federal, período em que o Brasil viveu um processo de desenvolvimento histórico e em que as classes populares passaram pela primeira vez a ter protagonismo no nosso país, o PT é alvo constante de setores da sociedade que perderam privilégios." / COLABOROU JAMIL CHADE, DE GENEBRA

Tudo o que sabemos sobre:
mensalaoPTLulaSTF

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.