Dúvidas ainda cercam jato da campanha de Eduardo Campos

PF ainda não sabe determinar as causas do acidente nem confirmou se a aeronave tinha sido paga com caixa 2

Ricardo Brandt, O Estado de S. Paulo

25 de outubro de 2014 | 17h05

Dois meses e uma semana depois da queda do Cessna Citation do então candidato à Presidência Eduardo Campos em Santos, a Polícia Federal ainda não sabe determinar as causas do acidente nem confirmou se a aeronave tinha sido paga com caixa 2 da campanha do PSB.

A descoberta do que provocou a queda e de quem eram os proprietários do jato é essencial para que a Justiça determine não só se houve um acidente, como para acionar a responsabilidade pelos prejuízos causados. A explosão da aeronave atingiu oito casas diretamente e outras 13 foram interditadas.

Oficialmente, três empresários de Pernambuco, com ligações diretas e indiretas com o candidato se apresentaram como compradores do jato - avaliado em US$ 8,5 milhões.

João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, Apollo Santana Vieira e Eduardo Freire Bezerra Leite - os três já envolvidos em processos sobre delitos financeiros - apresentaram um contrato de gaveta assinado com o dono do Cessna, segundo o registro da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac): a AF Andrade, um grupo de usineiros da região de Ribeirão Preto.

O jato está financiado num leasing com a Cessna Finance, e quem detém os direitos de uso ainda é a AF.

Para justificar os primeiros pagamentos de cinco parcelas, no total de R$ 2 milhões, eles apresentaram como origem do dinheiro cinco empresas, sendo três sem lastro financeiro ou que sequer tinham sede. 

Por meio de seus advogados, os empresários disseram não haver irregularidade na aquisição. O PSB informou que os valores pela utilização da aeronave seriam lançados futuramente nas prestações de contas - elas, no entanto, ainda não foram apresentadas à Justiça Eleitoral.

Como não eram donos do jato nem a aeronave servia para locação, o uso não pode ser considerado legal. presidente sabia muito bem da necessidade de termos orientações que devem ser seguidas. 

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2014Eduardo Campos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.