Doria diz, agora, que vai congelar tarifa só por 1 ano

Doria diz, agora, que vai congelar tarifa só por 1 ano

Em entrevista no primeiro dia após ser eleito prefeito, o tucano João Doria afirma que nenhum imposto será reajustado em 2017

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

03 de outubro de 2016 | 17h33
Atualizado 03 de outubro de 2016 | 23h33

SÃO PAULO - Um dia após ser eleito prefeito de São Paulo no primeiro turno, João Doria, de 58 anos, prometeu ontem que não aumentará impostos e vai manter congelada a tarifa de ônibus em 2017, mas não se comprometeu com a manutenção depois disso.

Durante a campanha, ele afirmou que não aumentaria as tarifas “em hipótese alguma” durante os quatro anos de mandato. Ontem o discurso foi diferente. “Não posso responder por quatro anos, posso responder pelo primeiro ano. Não vamos mexer na tarifa em 2017. Também não haverá nenhuma modificação de impostos ou taxas”, afirmou.

Diante da insistência dos repórteres com a questão, o tucano foi lacônico. “Cada dia com a sua agonia. No primeiro ano, nenhuma mudança.”

Doria recebeu jornalistas na sede de seu comitê de campanha, na Avenida Europa, e falou sobre o cronograma da transição e as primeiras medidas que serão tomadas por seu governo. “O recado anti-PT, um rechaço ao PT” e “a rejeição à velha política”. O coordenador político de sua campanha, Júlio Semeghini, será o responsável por abrir o diálogo com a administração de Fernando Haddad.

Novo governo

Até 30 de novembro teremos toda estrutura de governo definida. Teremos um mês de convívio com aqueles que vão deixar a prefeitura no dia 31 dezembro.

Funcionalismo

Temos cerca de 135 mil funcionários públicos na prefeitura, fora os terceirizados. Nós vamos preservar essas pessoas. Não haverá desemprego. Quando falamos em desestatização, programas de privatização e. PPPs, isso não vai implicar em demissões. Pelo contrário. Vai implicar que essas pessoas, atuando nas empresas que serão privatizadas, serão priorizadas e contratadas pelo setor privado. Ninguém vai perder os seus direitos trabalhistas.

Privatização

Vamos privatizar o Parque Anhembi e Interlagos. Vender. O Anhembi será o primeiro. Já tem uma modelagem. A Prefeitura tentou fazer uma privatização com outra proposta, de concessão. Os estudos não são ruins. O Anhembi terá três modelagens. Uma para o Sambódromo, outra para o Palácio das Convenções e outra para feiras e exposições. Poderemos ter três empresas vencedoras, ou mesmo um consórcio disputar as três. O autódromo será privatizado também, mas será preservado. O Parque de Interlagos continuará sendo público, mas administrado pelo setor privado. Nenhuma especulação imobiliária. 

Pacaembu

Será uma concessão por prazo determinado de dez ou quinze anos. Será gerido pelo setor privado. Continuará sendo exclusivamente estádio de futebol. 

Temer

(O presidente Michel Temer) deixou o canal aberto para que São Paulo possa realizar parcerias com o governo federal. Dentro dos limites das possibilidades, daquilo que for viável. 

FHC

Recebi mensagem muito carinhosa, muito afetuosa, mensagens igualmente carinhosas dos senadores José Aníbal e Aloysio Nunes.

Serra

Tenho estima pessoal pelo ministro José Serra. Ele tem os seus pensamento e seu comportamento. Ele de fato apoiou o Andrea Matarazzo nas prévias, mas depois disso não fez nenhuma manifestação que pudesse demonstrar um sentimento não tucano. Teve discernimento e foi discreto.

Ministério Público

Respeito o Ministério Público. Fiz uma visita pessoal ao promotor Bonilha. Fui sozinho. Faz mais de um mês.

Mulheres no governo

Não teremos cota. Não é necessário. Desejo ter muitas mulheres e jovens.

Cortes de pastas

Vamos reduzir para cerca de 20 secretarias. São 27.

Saúde

Precisamos de 800 médicos. Essa é necessidade real. Já houve concurso. Já há concursados. Eles só não foram chamados. Vamos usar o orçamento da prefeitura para saúde, que é expressivo, robusto: R$ 9,4 bilhões. Espero que o prefeito mantenha esse orçamento. Seria desastroso fazer qualquer tipo de corte na área da saúde. 

Corujão

É um programa emergencial. Vai durar um ano. Esperamos zerar a fila nesse período. Avaliamos o custo dessa operação. Segundo nossa equipe de saúde, comandada pelo médico Milton Flávio, será de cerca de R$ 100 milhões. É para o prazo de 12 meses esse orçamento. 

Transição

Não vamos impor uma pauta de transição ao prefeito Fernando Haddad. Tenho muita confiança de que ele abrirá todas as informações. 

Haddad

Quero ter uma relação republicana com ele nesses três meses. Não vou fazer críticas pessoais. 

Política

Fazer política não significa que eu serei um político. Serei um gestor, um administrador. Não farei uma gestão política. Farei uma gestão administrativa. 

Cargos e aliados 

Não vamos fazer partilha (de cargos). Não tem jogo perigoso, da velha política. Não tem toma lá, dá cá. Indicações são bem vindas. Não há problema de vereadores e deputados indicarem (pessoas para os cargos). 

Mas tem que ser morador  do bairro, ter ficha limpa e currículo. 

Mandato

Sou contra a reeleição, embora meu partido tenha sido o autor da proposta. Ela se mostrou nociva a política brasileira.  Serei prefeito por quatro anos. 

Cracolândia

O programa De Braços Abertos será descontinuado. Ele não foi bem sucedido. Aumentou o número de dependentes, traficantes. Aumentou o preço da pedra de crack.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.