TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO
TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

Doria diz que conta com apoio do PSL 'verde-amarelo' ao votar em SP

Candidato ao governo paulista vestia camiseta amarela com o mote 'Bolsodoria'

Pedro Venceslau, O Estado de S. Paulo

28 de outubro de 2018 | 10h15

Candidato do PSDB ao governo paulista, o ex-prefeito João Doria chegou antes do anunciado para votar na manhã deste domingo, no Colégio St. Pauls, no Jardim Paulistano, zone oeste de São Paulo. O tucano chegou em uma van acompanhado do prefeito Bruno Covas, do ministro das Comunicações, Gilberto Kassab (PSD), da deputada eleita do PSL Joice Hasselmann, da senadora eleita Mara Gabrilli (PSDB) e de outras lideranças do seu partido. 

Após votar, Doria mais uma vez exaltou o PSL de Jair Bolsonaro e a chapa "Bolsodoria" - ele usava camiseta amarela com esse mote quando votou. O ex-prefeito disse que tem o apoio do "PSL verde-amarelo", mas enfrentou uma saia justa quando a senadora eleita Mara Gabrili foi questionada sobre seu voto para presidente. "Voto no João Doria", disse ela, evitando declarar voto em Bolsonaro.

O PSL ficou neutro no segundo turno em São Paulo, mas o presidente da legenda, o senador eleito Major Olímpio, declarou apoio a Márcio França (PSB). 

O candidato do PSDB minimizou em entrevista coletiva o resultado das últimas pesquisas de intenção de voto. Segundo o Ibope/Estadão, o governador Márcio França, candidato do PSB, subiu três pontos e chegou a 50%, em situação de empate com Doria. "Na eleição de 2016 o nosso resultado contrariou as pesquisas. Nossos treckings são bons e nos colocam na frente", disse o candidato. 

Doria voltou a criticar o PT e as "esquerdas" que, segundo ele, apoiam França. "Márcio França não assume sua posição de esquerda. Não estou desqualificando o voto de esquerda, mas estou do outro lado. Quero estar ao lado dos brasileiros que não querem o PT, arrivistas, socialistas, trotskistas e marxistas."

Doria também minimizou a ausência de Geraldo Alckmin em sua campanha no segundo turno. "Quero aqui reafirmar meu respeito por Geraldo Alckmin, que foi um grande governador. Fez tudo o que foi possível nessa eleição. Ele tem o meu respeito, assim como o presidente de honra do PSDB, Fernando Henrique Cardoso."

Após deixar a escola, Doria acompanhou o voto de Rodrigo Garcia, no Itaim, e o de Mara Gabrili, em uma sede ds Unip na Rua Vergueiro, no Paraíso. Lá, passou 40 minutos tirando selfies com eleitores ao lado dos deputados do PSL Joice Hasselmann e Castelo Branco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.