Documento ignora proposta de fim de isenção para igrejas

A proposta que recebeu mais votos favoráveis na plataforma digital criada pela dobradinha PSB-Rede para receber sugestões não foi contemplada no documento das diretrizes programáticas apresentado ontem em Brasília. A ideia de pôr fim a isenções fiscais e tributárias para igrejas e religiões teve o apoio de 233 internautas que visitaram a página "Mudando o Brasil", que ficou no ar de 28 de novembro a 20 de janeiro.

Isadora Peron, O Estado de S.Paulo

05 de fevereiro de 2014 | 02h06

Aliados da ex-ministra Marina Silva, que pertence à Assembleia de Deus, dizem que não há constrangimento em debater o assunto. Alegam, porém, que a proposta é muito específica e será tema de discussão na próxima fase da elaboração do programa de governo.

Segundo Bazileu Margarido, um dos responsáveis por organizar o documento, o tema foi englobado numa proposta mais ampla, que é a defesa da reforma tributária. De acordo com o texto, essa "reforma terá como diretrizes, além da descentralização de recursos, a simplificação do sistema, a justiça tributária e a promoção do desenvolvimento sustentável".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.